Pedro Mello diz que verba para covid-19 pode chegar a R$ 43 milhões

Cidade chegou ontem a 215 mortes e 8.535 infectados (Foto: Claudinho Coradini/JP)

O secretário de Saúde de Piracicaba, Pedro Mello, foi sabatinado nesta terça-feira por um grupo de vereadores sobre a situação da covid-19 na cidade. Ao falar sobre os recursos do Governo Federal, ele disse que a cidade recebeu R$ 23 milhões, dos quais R$ 10 a R$ 11 milhões foram destinados à rede privada. O restante, segundo o médico, está sendo completado o gasto. Mello disse ainda que está previsto o repasse de outros R$ 20 milhões, também federais, que serão divididos em várias parcelas.

Durante os questionamentos, Mello apresentou os argumentos para que Piracicaba avance para a laranja no Plano São Paulo. Ele disse que, além de ter solicitado a análise ao Governo do Estado, a prefeitura está questionando na Justiça.

O secretário apresentou a atualização dos dados da covid-19 até 31 de julho, por ter sido nesta data que o governo paulista divulgou a informação de que Piracicaba estaria na fase vermelha.

De acordo com os dados da Secretaria de Saúde, na ocasião, eram 7.834 casos confirmados e 1.041 suspeitos, com 201 óbitos, 6.069 recuperados, 1.564 em tratamento e 171 internados. “A realidade é que, hoje, o número de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) dobrou”, disse.

O titular da Saúde disse que o cálculo do governo estadual para a classificação leva em conta a capacidade de internação, ou seja, o número de leitos disponíveis por 100 mil habitantes.

Mello disse que Piracicaba está acima da média. “O segundo critério é o número médio de internações em terapia intensiva. Precisa sempre estar abaixo de 80 para ir, no mínimo, para a fase laranja. Outro fator, o epidemiológico, Piracicaba deveria ser verde nos dois primeiros e o único laranja seria na mortalidade”, disse o secretário.

De 30 de março a 31 de julho, Piracicaba evoluiu no oferecimento de leitos de terapia intensiva (exclusivos para atender casos do novo coronavírus), de 57 para 133, entre públicos e privados. Além disso, há 187 leitos de enfermaria, segundo dados apresentados pelo secretário.

“No entanto, enquanto temos 133, o Censo Covid-19, do Governo Federal, diz que são apenas 107 leitos de terapia intensiva. Essa é a briga que temos: o governo nos cedeu 20 equipamentos e respiradores. Temos as unidades do Piracicamirim e da Vila Rezende prontas para dar sustentação respiratória. Nós montamos a UPA, mas ainda não está sendo reconhecida como leito de sustentação, mesmo com todos os equipamentos”, informou Pedro Mello.

215 MORTES
Piracicaba chegou ontem a 215 mortes por covid-19 e 8.535 infectados pelo novo coronavírus. A cidade registrou, nesta quarta-feira, 133 novos casos da doença, sendo 66 mulheres e 67 homens.

NO ESTADO
Ontem (5), o Estado de São Paulo registra 24.109 óbitos e 585.265 casos confirmados do novo coronavírus. Entre o total de casos diagnosticados de covid-19, 387.918 pessoas estão recuperadas, sendo que 73.036 foram internadas e tiveram alta hospitalar. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 58,7% na Grande São Paulo e 60,2% no Estado. O número de pacientes internados é de 13.060, sendo 7.516 em enfermaria e 5.544 em unidades de terapia intensiva.

NO BRASIL
O balanço diário do Ministério da Saúde – divulgado ontem (5) – mostra que o Brasil tem 2.859.073 casos acumulados de covid-19. Desse total, 70,7% se recuperaram da doença, ou seja, 2.020.637 pessoas; 97.256 faleceram e 741.180 pacientes estão em tratamento. Nas últimas 24 horas, foram registrados 1.437 óbitos e notificados 57.152 novos casos de covid-19.

O Brasil mantém-se em segundo lugar no ranking mundial em número de casos e de óbitos relacionados à pandemia. A liderança é dos Estados Unidos. De acordo com o mapa da universidade Johns Hopkins, o país possui 157.690 mortes e 4.811.128 casos acumulados. Na terceira colocação, em número de casos, segundo o ranking na instituição norte-americana, aparece a Índia, com 1,9 milhão de infecções e 39.795 óbitos. Já em número de mortes, a terceira posição é do México, que registra 48.869 falecimentos e 449 mil casos totais confirmados.

Beto Silva