Todos os sentenciados identificados com a doença foram curados (Divulgação/SAP)

A Penitenciária Masculina de Piracicaba foi considerada referência no Estado no tratamento da tuberculose entre a população carcerária. Pelo quarto ano consecutivo recebeu premiação no Fórum Anual de Tuberculose do Estado de São Paulo, na edição de 2020.

Em 2019, a unidade registrou 22 sentenciados que foram diagnosticados, realizaram o tratamento até a alta por cura. Esses foram os fatores que somaram pontos à Penitenciária. Todos receberam o tratamento e foram curados.

“Essa premiação é um reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pela equipe de saúde cotidianamente nas unidades prisionais objetivando a prevenção e tratamento de tuberculose nos presídios”, disse Cleide Coelho da Silva Santos diretora técnica de Saúde, da Penitenciária de Piracicaba.

Segundo o Ministério da Saúde a tuberculose no sistema prisional apresenta um índice maior devido às precárias condições sanitárias das unidades que possuem “celas mal ventiladas, iluminação solar reduzida e dificuldade de acesso aos serviços de saúde, são alguns fatores que contribuem para o coeficiente elevado de tuberculose no sistema prisional. “Importante ressaltar que neste ano com todos os esforços para prevenção, testagem e monitoramento da população carcerária e corpo funcional quanto à covid-19 a equipe de saúde, não minimizou esforços para dar continuidade a todos aos demais programas de saúde e atendimento com comprometimento, responsabilidade e eficiência”, afirmou Cleide.

A diretora de Saúde Rosemeire Santos afirmou que duas vezes por ano é realizado a busca ativa na unidade para identificar os sentenciados que estão com a doença, para encaminhamento e tratamento. “Somos bem-sucedidos desde a identificação da tuberculose, tratamento e a cura”, enfatizou Rosemeire.

Cristiani Azanha

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

13 − 7 =