Pets sofrem com mudança de rotina durante o isolamento social

É possível entreter o pet dentro de casa

O isolamento social forçado pela quarentena, que visa conter a disseminação em massa da Covid-19 (novo coronavírus), também impacta o cotidiano de pets, como cães e gatos, que são acostumados a sair de casa ou apartamentos para longos – e necessários – passeios diários. Com menos tempo na rua e ao ar livre, o confinamento pode aumentar o nível de estresse dos bichinhos. É neste momento tão peculiar do mundo que os tutores devem entretê-los em alguns períodos do dia e sair o mínimo possível, contam a pet sitter e educadora canina Mariana Hoffling e a veterinária Julia de Lima Flórios.

Uma vez confinados junto ao tutor, afirma Mariana, é recomendável criar brincadeiras com o pet para ele se exercitar e, consequentemente, gastar energia. A educadora canina sugere duas formas de entretê-lo.

“Tem num brinquedo legal que pode se fazer em casa. Pega uma garrafa pet vazia e sem rótulos, deixa tampada. Faz um corte no meio dela, com estilete – pode fazer de uns três centímetros. Pela tampa, coloca petiscos, ração, algo que o pet vai ficar tentando tirar de dentro da garrafa. Isso faz um pouco de barulho, mas ele se entretêm com isso. Outra brincadeira é, se tiver um coco, depois de tomar a água, os pets gostam de brincar com eles. Faz sujeira, mas eles gostam”.

Além das dicas de Mariana, existem muitos vídeos no Youtube com conteúdo especializado em pet que pode inspirar o tutor, como confecção de outros brinquedos interativos e games que forçam mais a participação dos humanos.

Mas, em alguns casos, uma saidinha é essencial, como animais que só conseguem fazer as necessidades biológicas ao ar livre. Para tanto, os passeios devem ser realizados em horários restritos, com menor circulação de gente na rua. “O passeio deve ser no máximo uns 15 min, até ele fazer as necessidades, de preferência em lugares onde não tenham cachorros, ou pessoas por perto, assim mantemos o isolamento”, enfatiza Mariana.

No retorno do passeio, ela complementa é essencial a higienização correta do pet, uma vez o que o vírus pode ficar no asfalto e eventualmente ser levado para dentro de casa. “A higiene deve ser feita assim que chega em casa, limpar as patinhas com água e sabão ou lenços umedecidos infantil”.

O passeio, reforça Júlia, apesar de restrito neste momento de combate à Covid-19, é importante para a saúde animal e ajuda a evitar a depressão nos pets. “Geralmente, quando os cães saem da rotina acabam ficando mais tristes e estressados, isso porque o passeio e atividades ao ar livre faz o organismo liberar hormônios que são responsáveis por dar prazer e ânimo, tanto para pets quanto pra nós, humanos”.

Sobre alimentação em tempos que o pet permanece mais ocioso em casa, Júlia afirma que se deve manter a mesma. “É importante evitar petiscos que não sejam específicos para pet, por exemplo, embutidos, e principalmente não exagerar na quantidade. Como o isolamento pode causar ansiedade nos animais de estimação, o indicado é manter a mesma quantidade de alimento para que não haja excesso de comida e ganho de peso”.

Erick Tedesco