Piracicaba é pioneira no interior em trabalho de prevenção ao HIV

Trabalho em parceria com o Caphiv e o Estado termina nesta sexta-feira (31). (Credito: Divulgaçao)

O Caphiv (Centro de Apoio aos Portadores do vírus HIV/Aids e Hepatites Virais) de Piracicaba iniciou ontem o Programa de Prevenção Combinada na Fundação Casa. O trabalho prevê orientação, conscientização e testagem rápida em aproximadamente 70 adolescentes internos e é desenvolvido dentro do projeto ‘Não Viralize a Ignorância, conheça’.

A ação será feita em parceria com o Estado, por meio do CRT (Centro de Referência e Treinamento-IST/Aids-SP) e Programa Municipal de IST/Aids e conta com a participação das secretarias estaduais de Saúde e de Segurança Pública.

As atividades contam com treinamento dos funcionários da instituição e deve se estender às orientações aos familiares e responsáveis pelos jovens.

De acordo com o coordenador do Caphiv, Eliel da Fonseca, o trabalho é pioneiro na região e segue o que é desenvolvido na Fundação Casa, na Capital. “A iniciativa é conjunta, porém o programa é do Estado de São Paulo”, observou.

Segundo Fonseca, após a implementação do programa na fundação, o Programa Municipal passará a fazer um trabalho permanente e contínuo com os adolescentes.

Segundo ele, Piracicaba é a cidade pioneira no interior do Estado a desenvolver o programa de Prevenção Combinada. “A Fundação Casa de Piracicaba é a primeira da região a ter o programa de prevenção combinada implementada com essa parceria”, destacou.

O trabalho desenvolvido na Fundação Casa segue até amanhã e envolve cerca de 40 profissionais. “Uma parte (de funcionários) será capacitada agora e depois vai haver a formação de agentes multiplicadores e outra turma será capacitada em curto prazo, de modo que todos possam ter essa qualificação e consolidar o programa de prevenção combinada”, explicou o coordenador.

“Quando falamos em prevenção combinada a gente está falando em desenvolver diversas atividades como, oficinas, rodas de debate, testagem rápida, um incremento das atividades pedagógicas e sociais”, pontuou.

 

Beto Silva
[email protected]