Piracicaba ganha projeto para recuperação de mata em 4 ribeirões; iniciativa ajuda na oferta de água

Foto: Alessandro Maschio/JP

Imaflora, Esalq, Secretaria de Agricultura e Hub H2A se unem para acelerar replantio de florestas

Empresa, academia, instituto de pesquisa e poder público se uniram em torno de um projeto de recuperação de quatro microbacias hidrográficas de Piracicaba, todas prioritárias para a produção de água e abastecimento público. A partir da restauração florestal das imediações delas, Imaflora, hub agroambiental, Esalq (Escola Superior de Agricultura) e Sema (Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento) identificaram e irão viabilizar com maior rapidez a recuperação uma área potencial de 1.300 hectares em APPs (Áreas de Preservação Permanente). O foco está nos ribeirões do Paredão Vermelho, Congonhal, Marins e Córrego Tamandupá. As informações são do gerente florestal do Imaflora, Leonardo Sobral.

Sobral informa que já estão na base de dados da Secretaria de Agricultura 14 propriedades no PSA (Programa de Pagamento por Serviços Ambientais), com uma abrangência de mais de 500 hectares, concentradas exatamente dentro das áreas prioritárias. O gerente do Imoflora afirma não existir dúvidas sobre o incremento do trabalho da administração pública proporcionado pelo grupo formado para plantio de florestas.

“A academia gerando informação e o poder público implementando as políticas existentes podem, com certeza, alavancar a agenda da restauração florestal e não só isso, tem um potencial de colocar Piracicaba na vanguarda, mostrando que é possível conciliar a produção agropecuária com a conservação ambiental.

Abastecida das informações sobre o mapeamento de áreas prioritárias e com informações sobre a demanda na Justiça para recuperação de mata nas encostas dos ribeirões, o H2A Hub Agroambiental se apresenta como facilitadora do processo. A plataforma de serviços fará a conciliação entre investidor, produtor rural e o responsável pelo projeto de restauro florestal a fim de firmar entendimento a ser apresentado ao Ministério Público ou aos órgãos ambientais para aprovação.

A inovação do H2A está no serviço de assessoria técnica qualificada para formatação de propostas e acordo entre as partes. “A experiência de nosso time nos permite auxiliar os envolvidos a apresentar acordos com risco mínimo de rejeição pela Justiça e instâncias ambientais de governo”, informa um dos coordenadores do hub, André Lima.

Conforme prospecção do H2A, a restauração florestal é um mercado com potencial para movimentar pelo menos R$ 400 milhões nos próximos nove anos. Além de promover soluções para os envolvidos diretos, colabora com a sociedade e meio ambiente, promovendo também a agricultura regenerativa. A promessa ao agricultor ou pecuarista é de que, com o hub, haja redução de custos.

Outras informações e contato para os interessados devem ser obtidos no site ‘www.h2ahubagroambiental.com.br’.

Cristiane Bonin
[email protected]

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

um × três =