Piracicaba inicia a semana com mais de 7 mil doentes e 179 mortos pela covid-19

Tenda Covid-19 registra grande movimento diariamente (Foto: Amanda Vieira/JP)

Piracicaba registrou ontem aumento de 193 casos de covid-19 e duas mortes pela doença. Com os novos casos, as estatísticas da cidade apontam para 7.141 infectados e 179 óbitos.

O Governo do Estado de São Paulo anunciou ontem que, no interior, houve aumento de 16% de óbitos por covid-19 na semana de 19 a 25 de julho em relação à anterior – de 12 a 18 de julho. No mesmo período, a diminuição de mortes provocadas pela covid-19 na Capital foi de 27%. Em todo o Estado, o índice de queda de mortes pela doença é de 4%.

Novas internações tiveram queda de 4% na cidade de São Paulo e também de 4% no Estado. Por outro lado, o interior paulista registrou, pela primeira vez, queda nas internações, de 2%.

O índice de letalidade no Estado também é o menor já registrado: 4,47%. São Paulo registrou 21.676 óbitos e 487.654 casos confirmados do novo coronavírus. Entre o total de casos diagnosticados de covid-19, 337.434 pessoas estão recuperadas, sendo que 65.112 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

 NOVOS CRITÉRIOS

O governo paulista anunciou nesta segunda-feira novos critérios para o Plano São Paulo de retomada econômica e enfrentamento ao coronavírus. Agora, para uma região avançar da fase amarela à verde, o percentual de ocupação de leitos poderá variar entre 75% e 70%, além de permanecer por 28 dias consecutivos na etapa intermediária. As regras começam a valer a partir da próxima sexta-feira.

A recalibragem, segundo o governo, visa garantir mais estabilidade no ajuste de fases, sobretudo na transição da amarela para a verde. Com as novas margens de capacidade hospitalar e de evolução da pandemia, as regiões ficam menos sujeitas a alterações de fase no Plano São Paulo sem uma mudança relevante nesses indicadores.

Entre os critérios anunciados, está a alteração do índice de ocupação de leitos de UTI, que atualmente precisa estar abaixo de 60%, para até 75%. A medida permite que os municípios liberem leitos de UTI reservados a pacientes graves com coronavírus para outras especialidades médicas que tiveram o atendimento adiado ao longo da pandemia.

Para garantir que a fase verde – a quarta menos restritiva nas cinco etapas do Plano São Paulo – seja alcançada por regiões que estejam caminhando para o controle da epidemia, qualquer Departamento Regional de Saúde (DRS) ou subregião deverá passar 28 dias consecutivos na fase amarela.

HYUNDAI

A Hyundai anunciou ontem que, para seguir com o volume de produção ajustado à demanda do mercado, vai prorrogar por mais 14 dias a suspensão de contrato de trabalho do 1º turno de sua fábrica em Piracicaba.

A operação seguirá, ainda de maneira parcial, com os 2º e 3º turnos, até o dia 10 de agosto, nova data prevista para o retorno do 1º turno.

A continuidade do funcionamento parcial da fábrica foi devidamente acordada com o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Piracicaba, com base nas medidas de proteção de emprego do Governo Federal. Durante a prorrogação da suspensão de contrato, o 1º turno da fábrica permanecerá com a ajuda compensatória adicional da Hyundai, que garante a todos o mesmo salário líquido, sem redução, o que corresponde ao salário nominal menos Imposto de Renda.

A empresa informou que segue as determinações do Governo do Estado de São Paulo e as orientações das autoridades de saúde para o combate à covid-19 e, por isso, todos os funcionários que estão trabalhando na fábrica e nos escritórios usam máscaras de tecido fornecidas, tanto nos deslocamentos nos ônibus fretados como nas atividades diárias, e respeitam o correto distanciamento social.

A montadora informou ainda que segue observando a recuperação da economia nacional e as orientações das autoridades para o combate à pandemia do novo coronavírus. Qualquer alteração do cenário atual poderá implicar novas ações.

Beto Silva