Piracicaba ocupa 11º lugar em emissão de gases de efeito estufa

Estudo mostra Piracicaba em situação crítica (Foto: Amanda Vieira/JP)

O setor de energia em Piracicaba lidera as emissões de GEE (gases de efeito estufa) no município, com um total de 887,2 mil toneladas lançadas na atmosfera, o que corresponde a 66% do total na cidade. O dado é uma das informações presentes no Boletim de Emissões do “Pira no Clima”, que reúne levantamentos referentes a 2018, último ano com dados disponíveis. As marcas colocam Piracicaba em 11º posição no ranking de cidades paulistas que mais emitem gases de efeito estufa.

O estudo foi divulgado ontem pelo Imaflora, que atribui o alto número de emissões de GEE do setor de energia à queima de combustíveis de automóveis, o que chama a atenção para a resolução de problemas referentes à mobilidade urbana e o modelo de transporte baseado na utilização de automóveis individuais.

O dado, segundo o analista de Políticas Públicas do Imaflora, Bruno Vello, aponta para a necessidade de definir estratégias e políticas públicas para reduzir tais emissões. “Medidas importantes incluem a otimização e incentivo ao transporte coletivo, o uso de combustíveis renováveis na frota pública e a criação de ciclovias e ciclofaixas”, ressalta.

Em seguida, vêm os setores de resíduos, com 197,1 mil toneladas de GEE emitidos em 2018, o de Agropecuária, responsável por 185,5 mil toneladas de gás carbônico, o de mudança de uso da terra, que emitiu 72,7 mil toneladas e o de Processos Industriais (9.675), totalizando 1,35 milhão de toneladas de GEE.

No setor de mudança e uso da terra, Piracicaba emitiu 72.774 mil toneladas de GEE, segundo o boletim, e coloca a cidade na segunda posição no ranking entre os municípios que mais emitiram gases de efeito estufa do Estado de São Paulo em 2018. As atividades nesse setor têm relação direta com desmatamento, degradação do solo, queima de resíduos florestais e calagem (preparo para o cultivo) dessas áreas recém-desmatadas.

OUTRO LADO
A Sedema informou que, em parceria com outras secretarias municipais realiza ações e programas, entre elas o incentivo ao uso de biocombustíveis, a criação de campanhas educativas para a prevenção de queimadas, o estímulo ao reflorestamento em áreas rurais e urbanas, a gestão integrada de resíduos sólidos, a limpeza de córregos, entre outras. A pasta destacou que participa ativamente dos grupos de trabalho conduzidos pelo Imaflora para a elaboração do Plano Municipal de Mudanças Climáticas e que realiza semestralmente a inspeção veicular em toda a frota de veículos e máquinas movidos a óleo diesel da prefeitura. “Além disso, para evitar práticas irregulares, também são realizadas ações de fiscalização de incêndios em áreas urbanas pelo Pelotão Ambiental e licenciamento, em âmbito municipal, de indústrias potencialmente poluidoras”, informou.

Beto Silva