Piracicaba registra 2 mortes e 105 casos positivos

Nesta quinta-feira, cidade registrava 19.669 positivados e 393 óbitos (Amanda Vieira/JP)

A Secretaria de Saúde de Piracicaba registrou nesta quinta-feira (10), duas mortes em razão da covid-19. As vítimas são duas idosas de 67 anos e 74 anos. O número de mortes pela doença no município aumentou para 393. Em relação aos infectados, foram mais 105 pessoas nas últimas 24 horas, sendo 43 mulheres (com idades entre 18 e 91 anos) e 62 homens (entre 15 e 79 anos), elevando o número de contaminados para 19.669. A cidade também registra 18.175 pessoas recuperadas da doença, 1.101 pessoas em tratamento, 1.261 casos suspeitos e 44.490 casos descartados.

PRODUÇÃO DA VACINA
O Governo do Estado de São Paulo anunciou em coletiva de imprensa no Instituto Butantan, o envase da Coronavac – vacina contra o coronavírus produzida pelo laboratório chinês Sinovac- pelo Butantan, que iniciou a produção do medicamento anteontem. A Coronavac ainda está na terceira fase de testes, estágio em que a eficácia precisa ser comprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Na quinta-feira, a agência aprovou regras que autorizam o uso emergencial e em caráter experimental de vacinas contra o novo coronavírus. Dessa forma, a Anvisa poderá analisar pedidos de laboratórios e conceder ou não autorização temporária para aplicação de doses.

De acordo com o diretor do Butantan, Dimas Covas, a vacina passou a ser produzida nesta semana e a estimativa é que gradualmente, a produção diária chegue a 1 milhão de doses. Segundo ele, são 365 funcionários trabalhando sete dias. O custo unitário da dose de Coronavac é de U$ 10,30 ( R$ 52,48), segundo informou Covas. “Esse valor foi informado ao Ministério da Saúde, inclusive com envio de planilhas de custos”, afirmou.

O Estado de São Paulo registrou ontem, 43.661 óbitos e 1.316.371 casos confirmados do novo coronavírus.
Entre o total de casos diagnosticados de covid-19, 1.165.927 pessoas estão recuperadas, sendo que 141.322 foram internadas e tiveram alta hospitalar. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 64,3% na Grande São Paulo e 58% no Estado.

LEIA MAIS:

Beto Silva
[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 × cinco =