Piracicaba registra seis mortes de acidentes de trânsito em setembro

Segundo dados divulgados ontem pelo Infosiga, das vítimas fatais, quatro estavam em motocicletas. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Seis pessoas morreram em acidentes de trânsito durante o mês de setembro, em Piracicaba. Do total de vítimas fatais, quatro estavam em motocicletas. Os dados foram divulgados ontem pelo Infosiga – base de dados do Estado de São Paulo gerido pelo programa Respeito à Vida, que reúne informações sobre acidentes de trânsito nos municípios. Neste mês, o órgão traz a informação de que os acidentes de trânsito têm diminuído nas cidades paulistas. Em Piracicaba, o secretário municipal de Trânsito e Transporte, Jorge Akira, destacou a redução no número de acidentes nos dois últimos meses. “Há dois meses não há óbitos nas vias municipais”, destacou o responsável pela Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte).

Com relação às mortes registradas no último mês, Akira destacou que 95% delas foram causadas por imprudência dos motoristas. O uso do celular ao volante é apontado por ele como umas das principais causas dos acidentes. “A falta do cinto de segurança caiu muito nas estatísticas, mas o celular ao volante ainda é preocupante”, afirmou o secretário. Com relação aos motociclistas, principais vítimas do trânsito em Piracicaba, o secretário aposta na aprovação da lei que regulamenta os serviços de mototáxi e motofrete na cidade. O rigor da fiscalização, principalmente pela PM (Polícia Militar) é apontada como um fator inibidor de tráfego de veículos com irregularidades.

Segundo ele, pela lei municipal, as motos usadas na prestação dos serviços deverão atentar para itens como a antena de cerol e para a idade dos veículos.

COMPARATIVO

O número de mortes no trânsito de Piracicaba em setembro caiu com relação ao mês de agosto, quando foram registrados nove óbitos.

Já no acumulado dos noves meses, neste ano, a cidade registrou um total de 44 mortes ante as 33 verificadas no mesmo período em 2018.

Akira acredita que a redução no número de acidentes será possível com o trabalho realizado pela administração e pelas campanhas. Neste ano, o motociclista é o foco da campanha municipal. “Temos trabalhando muito, mas não depende só da administração para o resultado da campanha”, observou.

Beto Silva
[email protected]