Piracicaba suspende convênio e perde Hospital Veterinário Público

Foto: Claudinho Coradini/JP

Prefeitura informou que está finalizando programa com iniciativas com foco no bem-estar animal

A Prefeitura de Piracicaba informou ontem (3) que suspendeu o convênio com o Governo do Estado de São Paulo para a construção do Hospital Veterinário Público. “A assinatura da parceria com o Estado está suspensa devido sua inviabilidade econômica”, informou a administração municipal em nota. A prefeitura acrescentou que está finalizando um programa com iniciativas visando o aumento de castrações e a criação de ações com foco no bem-estar animal. “Este estudo deverá ser apresentado nos próximos dias, assim que for concluído”, acrescentou.

O estudo citado pela prefeitura é o projeto Piracicaba Amiga dos Animais, que vem sendo desenvolvido com a participação e acompanhamento da vereadora Alessandra Bellucci (Republicanos).

A protetora disse que ontem, que vem conversando com o prefeito Luciano Almeida (DEM) desde o início do mandato sobre o bem-estar animal. Sobre a suspensão do convênio, ela disse que ouviu de Luciano e dos secretários Filemon Silvando (Saúde) e Alex Gama Salvaia (Sedema – Secretaria de Defesa do Meio Ambiente) e ouviu as explicações sobre a inviabilidade técnica.

De acordo com a parlamentar, a proposta da prefeitura é direcionar os recursos que seriam gastos com a construção do hospital veterinário ao atendimento da população carente, com cirurgias de castrações e ortopédicas. Segundo a justificativa apresentada à vereadora, com a construção de um hospital veterinário público em uma região metropolitana, Piracicaba iria atender a população de outras cidades da Região, nesse caso, a prefeitura optou em investir o dinheiro que seria usado na construção da unidade, na população piracicabana, com clínicas mais próximas aos bairros e desenvolvimento de políticas públicas.

Segundo Alessandra, a justificativa da prefeitura é de que o hospital levaria dois anos para entrar em funcionamento e que seria necessária a contratação de uma OS (Organização Social) para gerenciar a unidade, o que exigiria mais recursos. Em todo caso, a vereadora disse ter deixado claro que, de qualquer forma, vai cobrar o atendimento á população carente pela prefeitura. “Independentemente de que seja hospital ou não, quero que a população tenha atendimento, fui eleita para isso”, afirmou.

“Eu estou aqui hoje podendo representar os animais de maneira diferente. Usar a minha experiência para adicionar as políticas públicas. Estou cumprindo tudo o que eu me propus no meu mandato. Os animais não podem mais esperar e eu estou aqui para isso”, acrescentou.

Na reunião ordinária desta segunda-feira (2), Alessandra apresentou vídeo e slides para mostrar que está cumprindo as propostas de seu mandato, principalmente o trabalho dentro do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), conforme frisou. “O meu trabalho é justamente isso, estudar onde, dentro da carência da nossa cidade, eu consiga um caminho mais curto para que os animais tenham uma vida mais digna e uma cidade mais acolhedora”, afirmou. A vereadora também citou o Zoológico Municipal, que foi aberto à população após um longo período fechado devido à pandemia da covid-19 e, segundo ela, foi esquecido.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

15 + 20 =