Piracicaba tem 15 mil cães e gatos abandonados, diz CCZ

Márcio Ermida, biólogo do CCZ, expôs a situação durante palestra ministrada recentemente. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Em Piracicaba existem cerca de 15 mil animais abandonados. O número representa a metade dos cães e gatos vacinados pela prefeitura durante a última campanha antirrábica, encerrada na semana passada.

De acordo com o biólogo e orientador pedagógico do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Piracicaba, Márcio Ermida, os animais abandonados estão expostos aos maus tratos, situação que provoca o acúmulo de dejetos em vias públicas, a proliferação de doenças e parasitas. O número de animais nas vias públicas também contribui para aumento dos riscos de acidentes.

Ermida expôs a situação de abandono em Piracicaba, durante palestra ministrada recentemente na Câmara de Vereadores palestra quando falou sobre adoção responsável.

No evento, o biólogo explicou sobre a necessidade da conscientização da população sobre a adoção responsável e os benefícios da castração para o combate ao abandono de animais.

De acordo com ele, antes da adoção, o dono deve buscar informações sobre todas as necessidades do animal e refletir se, de fato, pode atendê-las. Segundo o palestrante, são cuidados obrigatórios aos animais: as visitas periódicas ao veterinário, pelo menos uma vez ao ano, a vacinação, os cuidados com a higiene, cuidados com a alimentação, vermifugação e os passeios.

O biólogo esclareceu que é importante que os donos de cães passeiem com seu animal todos os dias para estimular a sociabilidade do animal, visto que a falta de passeios deixa o cachorro estressado e agressivo.

Ermida também desmistificou a ideia de que gatos devem ser soltos sem o acompanhamento do dono. Segundo ele, estes animais devem ser criados dentro de casa desde filhotes e ser entretidos com brinquedos.

A palestra na Câmara também abordou o decreto municipal que pune situações de maus tratos contra animais. incentivou a denúncia destas situações, quando comprovada a veracidade da transgressão.

O biólogo faz um apelo a adoção responsável de animais sem raça definida, os chamados vira-latas. “O vira-lata é lindo, resistente e, principalmente, muito agradecido”, comentou.

Beto Silva

[email protected]