Piracicaba tem 23 mortos e 491 infectados pelo novo coronavírus

Reabertura da economia vai depender da taxa de isolamento (Foto: Amanda Vieira/JP)

A cidade de Piracicaba registrou ontem aumento dos números de mortes e de novos diagnósticos da covid-19, na cidade. De acordo com o boletim divulgado ontem pela administração municipal, um óbito foi registrado nesta segunda-feira e 12 casos foram confirmados. Com isso, são 23 mortos até o momento, enquanto os diagnosticados com a doença chegam a 491.

A última vítima fatal é uma mulher de 67, já os novos casos confirmados são 11 mulheres com idades entre 26 e 77 anos e um homem de 27 anos.

FLEXIBILIZAÇÃO

O governo paulista deve anunciar hoje como será a reabertura gradual da economia no Estado a partir do dia 1º de junho, levando em conta a situação de cada região.

Entre alguns aspectos avaliados pelo governo será os índices de isolamento e de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). Em Piracicaba, a média do primeiro é de 41,6%, quando o Estado defende 70% de isolamento social.
 
NÚMEROS NO ESTADO
O número de mortes pelo novo coronavírus no Estado de São Paulo chegou a 6.423 nesta terça-feira, incluindo 203 novas confirmações desde anteontem.

Também há 86.017 pessoas com diagnóstico de covid-19, com pelo menos um caso em 511 cidades. Destas, 244 tiveram no mínimo uma vítima fatal.

Há 12,2 mil pacientes internados em São Paulo, sendo 4.779 em UTIs e 7.506 em enfermaria. Até o momento já ocorreram 17.589 altas de pacientes que tiveram confirmação de covid-19 e foram assistidos em hospitais do Estado.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento à doença é de 74,5% no Estadoe 87,7% na Grande São Paulo.

VEREADOR TESTA POSITIVO
O resultado positivo para covid-19 do vereador Ary Pedroso Jr. (Solidariedade) na última semana, fez o presidente da Câmara, Gilmar Rotta (Cidadania), determinar ao setor de Informática do Legislativo a finalização da estrutura para a realização de reuniões camarárias remotas.

Em testes feitos na semana passada, foram analisados pelo menos três sistemas que reúnem características necessárias para uma transmissão sem interrupção e com possibilidades de interação e votação dos vereadores.

Rotta convocou para hoje os vereadores para uma simulação de reunião, em que serão testados os recursos e feitos os ajustes finais para o uso da ferramenta definida. “A ideia é de que não haja alterações ao formato atual adotado para as reuniões, que estão sendo realizadas em caráter extraordinário, por força da pandemia”, explicou.

Para o presidente, é importante que a população tenha condições de acompanhar os trabalhos como se estivessem acontecendo com todos os vereadores reunidos em plenário. “Todos os canais de transmissão serão mantidos: rádio, TV e internet. Nosso desafio é dar visibilidade a todos os parlamentares que se manifestarem durante a reunião”, disse.

ENSINO A DISTÂNCIA
O Ensino a Distância implementado pelo governo do Estado de São Paulo após a suspensão das aulas presenciais devido à pandemia do novo coronavírus ainda é uma realidade distante para uma parcela de alunos matriculados na rede estadual.

Foi o que revelou um levantamento realizado pela Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) na última semana.

Com o objetivo de identificar o acesso dos estudantes às atividades a distância, a entidade lançou uma plataforma em que os professores apontam diariamente essa participação dos alunos.

De acordo com o levantamento, entre os dias 21 e 23 de maio, dentro de um universo de 50,4 mil alunos com frequência possível nas aulas remotas, apenas 13 mil conseguiram se conectar com seus professores. Participaram da enquete, neste período, 186 professores. As cidades que contaram com maior frequência de alunos à distância foram São Bernardo do Campo (78,8%); Mogi Mirim (75%) e Mauá (66%). Já que as tiveram menor índice são Caraguatatuba (2%); Presidente Prudente (5%) e Osasco (7%).

A presidenta da Apeoesp e deputada estadual Professora Bebel (PT), aponta a desigualdade social como principal entrave para o ensino a distância no país.

Ela lembrou que 66% dos brasileiros de 9 a 17 anos não acessam a internet em casa, de acordo com pesquisa do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic). “A gente tem muita preocupação com o ensino a distancia. Nos três dias de enquete, apenas 25% dos estudantes conseguiram se conectar e acompanhar a aula à distância. A internet não pode ser a única solução encontrada pelo governo do Estado. Outras alternativas devem existir como, por exemplo, programas educativos e de incentivo à leitura pela TV e pelo rádio, sem substituir o ensino presencial, que deve ser retomado após a pandemia”, defendeu a deputada.

“A Apeoesp reafirma a posição contrária ao EaD do João Doria durante o período de pandemia. Estamos encaminhando todas as medidas necessárias para resguardar os direitos de nossos professores e alunos. Por essa razão, esse contato com os docentes é muito importante”, diz a presidenta da entidade, a deputada Bebel.

HYUNDAI PARCIAL
A Hyundai, em comum acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Piracicaba, seguirá com o funcionamento parcial de sua fábrica em Piracicaba, com apenas um turno de produção, prorrogando a suspensão de contrato de trabalho (lay-off), sem redução de salários, para os dois turnos restantes, as equipes administrativas e os escritórios em São Paulo, no período de 27 de maio a 25 de junho, com retorno previsto para 26 de junho.

A montadora informou que, assim como ocorreu no primeiro período de suspensão de contratos (lay-off), que termina hoje, complementará o benefício emergencial do Governo Federal determinado pela legislação, acrescido de uma “ajuda compensatória”, para que cada funcionário siga recebendo, também neste segundo momento, o mesmo salário líquido, sem redução, o que corresponde ao salário nominal menos Imposto de Renda e INSS.

Em 27 de abril, o contrato de trabalho de todos os funcionários foi suspenso, em conformidade com as medidas de proteção de emprego aprovadas pelo Governo Federal. Apenas as atividades essenciais foram mantidas. No dia 13 de maio, o primeiro turno da fábrica voltou a operar, com o apoio administrativo mínimo, para atender às novas modalidades de venda remota (on-line), quando o consumidor pode realizar todas as etapas da compra do veículo sem sair de casa, e abastecer as cidades onde o funcionamento das revendas de veículos é permitido.

A Hyundai informou que seguirá observando o desempenho da economia nacional e as orientações das autoridades para o combate à pandemia do novo coronavírus. Caso haja alteração do cenário atual, outras ações podem ser tomadas.

Beto Silva

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezoito + oito =