Piracicaba tem 6 mortes e 138 infectados em 24 horas

Ontem, a taxa de ocupação leitos era de 81% nas UTIs e 70% nas enfermarias. (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A Secretaria de Saúde de Piracicaba registrou nesta segunda-feira(12), seis mortes em razão da covid-19. As vítimas são quatro homens de 58, 66, 71 e 78 anos e duas mulheres de 72 e 99 anos. Com os óbitos, o número de vítimas fatais da doença na cidade aumentou para 746. Em relação aos infectados pelo coronavírus , foram mais 138 pessoas nas últimas 24 horas, sendo 79 mulheres (com idades entre dois e 79 anos) e 59 homens (entre três e 70 anos), elevando o número de contaminados para 42.660.

Piracicaba também registra 39.604 pessoas recuperadas da doença, 2310 pessoas em tratamento,1.016 casos suspeitos e 76.022casos descartados. Ontem, a taxa de ocupação da UTI (Unidade Terapia Intensiva) na cidade era de 81% enquanto os leitos de enfermaria estavam ocupados em 70%.

NO ESTADO

O Estado de São Paulo registrou ontem 83.098 mortes e 2.648 milhões de casos confirmados pela covid-19. Entre os infectados, 2.287 milhões estão recuperados e, desse total, 269.601 estiveram internados e receberam alta hospitalar. O número de internações segue em declínio. São 25.980 internados, sendo 12.061 em leitos de Terapia Intensiva e 13.919 em enfermaria. As taxas de ocupação dos leitos de UTI também vêm caindo, chegando aos atuais 85,5% no Estado e de 84,3% na Grande São Paulo. A atualização de todos os dados pode ser consultada em: www.saopaulo.sp.gov.br/ coronavírus.

O Estado de São Paulo retornou ontem para a Fase Vermelha com a manutenção das restrições de circulação das 20h às 5h e veto a cerimônias religiosas coletivas. O Governo de São Paulo reitera a importância das medidas de distanciamento pessoal, uso de máscaras e higiene das mãos. É fundamental que a população fique em casa neste momento.

NO PAÍS

O Brasil registrou 1.738 novas mortes pela covid-19 nesta segunda-feira, 12. A média semanal de vítimas, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, ficou em 3.125 sendo a maior marca já registrada desde o início da pandemia. Em 1º de abril o País tinha registrado 3.119 mortes na média móvel, um recorde até então. Só que nesta segunda-feira este número foi superado, o que demonstra que os números da pandemia continuam subindo. No sábado, o Brasil registrou seu número mais alto na semana epidemiológica. No dia seguinte, teve seu maior registro de óbitos em um domingo. Agora bate o recorde na média móvel de mortes. Ontem, (12), o número de novas infecções notificadas foi de 38 866. No total, o Brasil tem 355.031 mortos e 13.521.409 casos da doença, a segunda nação com mais registros, atrás apenas dos Estados Unidos. (com AE)

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

4 × três =