Cidade em quarentena, presencia o aumento do número de casos. Todos os pacientes são de hospital particular (Foto: Amanda Vieira/JP)

A Secretaria Municipal de Saúde de Piracicaba divulgou, ontem, mais três casos de coronavírus em Piracicaba: dois homens, um de 76 anos e outro de 29 anos e uma mulher de 55 anos. Ambos estão internados em um hospital particular. Neste domingo (29), a pasta confirmou o 6º caso positivo na cidade, que agora registra nove pessoas infectadas.

Os pacientes com diagnóstico positivo de Covid-19 em Piracicaba têm idades entre 22 e 77 anos. A maioria (7) é homem. O mais velho, primeiro caso positivo registrado na cidade, está em estado grave e permanece internado em isolamento na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Unimed.

De acordo com a assessoria de imprensa da Unimed Piracicaba, o hospital mantém oito casos positivos de coronavírus, sendo seis homens, com idades de 29 a 77 anos, e duas mulheres, de 53 e 55 anos.

Entre os pacientes, dois deles se encontram em estado grave, isolados, na UTI do complexo hospitalar. Os demais estão internados em isolamento na enfermaria, com estado de saúde estável, dependendo, apenas, de suporte clínico. Outros casos aguardam diagnóstico e estão em isolamento.

15 mortes em 1 dia

O Estado de São Paulo chegou ontem a 113 mortes relacionadas ao novo coronavírus. Somente ontem, 15 novas mortes foram confirmadas.

Todas as novas vítimas da Covid-19 são da Grande São Paulo e foram atendidas em hospitais da rede privada de saúde. Um dos óbitos, um homem de 41 anos com comorbidades, é do município de Osasco.

Os demais são da Capital, sendo oito mulheres (duas de 77; três de 83; 87, 92 e 93 anos) e seis homens (dois de 64, 90, 93, 100 anos, além de um jovem de 31 anos com comorbidade).

Segue em investigação, por parte da prefeitura paulista, o histórico dos jovens de 26 e 33 anos, cujas mortes foram confirmadas no domingo.

Até o meio da última semana, apenas a Capital paulista registrava óbitos relacionados à COVID-19. Porém, já há registro de pelo menos um óbito nos municípios de Vargem Grande Paulista, São Bernardo do Campo, Guarulhos, Taboão da Serra, Embu das Artes, Sorocaba, Osasco e Ribeirão Preto.

São Paulo também registra 1.517 casos confirmados da doença. No país, o número de mortes em razão do novo coronavírus subiu de 136 para 159 entre domingo e ontem. Um aumento de 16% entre a última atualização e a divulgada no final da tarde pelo Ministério da Saúde.

Já os casos confirmados saíram de 4.256 para 4.579. O resultado de novas 323 pessoas infectadas marcou um incremento de 7% em relação a ontem. O número foi o menor desempenho nos últimos cinco dias, quando o número de novas pessoas infectadas, por exemplo, passou dos 500 na última sexta-feira (27).

Em entrevistas coletivas durante a semana a equipe do Ministério da Saúde afirmou que era esperado um crescimento diário de até 33%.

Os estados com mais casos foram São Paulo (1451), Rio de Janeiro (600), Ceará (372), Distrito Federal (312) e Minas Gerais (231). A menor incidência está em estados da Região Norte, como Rondônia (6), Amapá (8), Tocantins (9) e Roraima (16).  

O índice de letalidade atingiu 3,5% com o balanço de hoje, acima do verificado no balanço de ontem, quando ficou na casa dos 3,2%.

Comerciantes

O prefeito Barjas Negri reuniu-se ontem com comerciantes associados à CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) e informou que estuda medidas de apoio ao comércio a exemplo dos governos estadual e federal. Na reunião, também foram atendidos lojistas que solicitaram reuniões aos vereadores Isac Souza, Paulo Campos e Pedro Kawai, este também comerciante do ramo da construção civil.

Barjas estava acompanhando dos secretários José Antonio de Godoy (Desenvolvimento Econômico), Milton Sérgio Bissoli (Procurador-geral) e Evandro Evangelista (Administração).

Na abertura, Reinaldo Pousa, presidente da CDL, falou das preocupações dos comerciantes com o fechamento de lojas, o que – segundo ele – vai comprometer a questão financeira nos próximos meses, principalmente para honrar as despesas com salários, aluguel e tributos. Foi entregue ao prefeito algumas reivindicações, que serão estudadas pela prefeitura.

O prefeito Barjas Negri falou das principais ações que a administração vem tomando, principalmente de reunir diferentes segmentos para discutir como enfrentar a crise provocada pela Covid-19, que também trará problemas à saúde financeira do município.

O tucano disse que a prefeitura tem cumprido o que determinam os decretos do Governo do Estado. Segundo ele, no momento, a luta é para que seja achatada a curva da doença, permitindo que os sistemas de saúde municipal e privado consigam dar conta da demanda, sem provocar o caos.

O coordenador em Vigilância de Saúde, Moisés Taglieta, falou sobre as ações para evitar um pico no número de casos da doença na cidade, seguindo orientações do Estado e do Ministério da Saúde e também de recomendações internacionais, seja da OMS (Organização Mundial da Saúde) ou de países do exterior. A recomendação neste momento e da continuidade do isolamento social, para evitar que o vírus seja transmitido de pessoa para pessoa.

Os comerciantes puderam fazer perguntas e esclarecer dúvidas com os secretários Godoy e Bissoli, principalmente sobre a interpretação dos decretos. Todos foram orientados a consultar o portal do governo estadual sobre perguntas e respostas sobre o Coronavírus, onde técnicos têm procurado responder as principais dúvidas de todos os segmentos.

Sobre as reivindicações do grupo, o prefeito disse que a Prefeitura vem estudando como ajudar o comércio neste momento para amenizar os efeitos da crise. Ele lembrou que União e Estado também adotaram uma série de medidas para essa difícil travessia.

Barjas disse que a Prefeitura vem se antecipando nas suas ações, principalmente na área da saúde, para atender aos trabalhadores, aquelas pessoas que não têm planos e dependem do SUS (Sistema Único de Saúde).

Na sexta-feira, comerciantes fizeram um buzinaço em frente ao Centro Cívico e no domingo houve uma carreata no Centro da cidade. Os manifestantes querem a abertura das lojas.

POPULAÇÃO DE RUA
A Casa de Passagem, serviço da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social que oferece pernoite para pessoas em situação de rua de Piracicaba ampliou o atendimento e acolhimento dos durante 24 horas.

Segundo a secretária Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Eliete Nunes, a intenção é que os usuários fiquem em quarentena, evitando a proliferação do Covid 19.

“Como a recomendação da Organização Mundial da Saúde  é que todos fiquem em casa, resolvemos ampliar o atendimento e receber este público para que eles também possam ficar reclusos neste momento tão crítico que o país e o mundo atravessam. Nós, que somos da Assistência Social, da Segurança Pública e da Saúde, precisamos sair e trabalhar, mas quem pode ficar em casa, fazer o trabalho remotamente, a gente pede que ajude e fique, para que consigamos vencer esta batalha”, explicou.

A Casa de Passagem oferece acolhimento provisório para pessoas adultas em situação de rua. São 50 vagas disponíveis diariamente.

HYUNDAI
A Hyundai aunciou ontem que está apoiando a cidade de Piracicaba em ações emergenciais durante a pandemia da Covid-19. A montadora disponibilizou oito veículos para uso das secretarias de Saúde e de Assistência Social e da Guarda Civil do município.

Os dois Creta e os seis HB20 servirão para apoio logístico das equipes das secretarias, possibilitando o atendimento de pacientes, o deslocamento de equipes técnicas e o transporte de materiais e exames realizados na região.

A empresa também doou 1.150 EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) para o Cerest (Centro de Referência de Saúde do Trabalhador) de Piracicaba. Entre os itens estão 500 toucas, 400 luvas, 150 óculos e 100 máscaras descartáveis (modelo respirador PFF2).

Segundo a montadora, os materiais doados abasteceriam os funcionários da fábrica na linha de produção, mas como a Hyundai está de férias coletivas até 13 de abril, terão destino melhor no combate à Covid-19.

Outra frente de ajuda vem por meio das impressoras 3D da fábrica. As máquinas já estão sendo aproveitadas para a confecção de um lote de até 100 máscaras de proteção facial total para uso hospitalar. Essas máscaras, em acrílico e não descartáveis, atuam como uma primeira barreira física, aumentando a vida útil das máscaras cirúrgicas ou respiradores descartáveis que são utilizados em conjunto.

Com isso, ficam protegidos olhos, pele, mucosas e vias aéreas dos profissionais de saúde durante o atendimento aos pacientes.

A durabilidade das máscaras descartáveis é prolongada mais de quatro vezes quando estas são usadas em conjunto com a máscara facial de acrílico, o que vai contribuir para que a Prefeitura de Piracicaba possa aproveitar seus estoques por mais tempo. 

O projeto das máscaras de proteção facial que estão sendo impressas pela Hyundai vem de um arquivo aberto (open source), disponibilizado globalmente pela fabricante de impressoras 3D PrusaPrinters, da República Checa.

Beto Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × 5 =