Piracicaba tem a terceira maior demanda do Copom do CPI-9

Copom centraliza as ligações das 52 cidades (Claudinho Coradini/JP)

As 11 cidades atendidas pelo 10º BPM/I da região de Piracicaba correspondem a 19,12%, do total de ocorrências geradas, por meio do telefone 190. Somente em 2021, cerca de 23 mil foram registrados. Atrás somente da região de Limeira (36º BPM/I) com 26 mil ocorrências e representa 21,35% e Sumaré (48º BPM/I) com 25 mil chamados).

O chefe do Copom, capitão Glauber Von Gal de Almeida Stamato disse que o número de ligações recebidas pelo Copom (Centro de Operações da Polícia), que centraliza e administra o telefone 190, é bem maior, pois no mesmo período foram registradas 112 mil ligações, que nem sempre terminam em ocorrências, pois muitas estão relacionadas à pedidos de informações, ou atendimentos, que não necessariamente chegam a gerar ocorrências.

Copom conta com tecnologia de ponta e impede a cópia da frequência (Claudinho Coradini/JP)

Atualmente, o Copom conta com uma tecnologia de ponta que garante que a frequências das comunicações da corporação sejam copiadas. Centralizada na sede do CPI-9 (Comando de Policiamento do Interior), desde 2009, o sistema do telefone 190 recebe todas as ligações dos 52 municípios da região.

No entanto, nem sempre as pessoas realizam um bom uso do telefone que é destinado apenas para situações de emergência como situações de risco de pessoas, ou crimes com eminência de acontecer ou ocorridos. “A Polícia Militar atua na prevenção de crimes e também na repressão, nas situações em que a polícia possa deter o infrator”, relatou Stamato.

O policial explicou que existem situações em que a mesma pessoa liga seguidas vezes para informar o mesmo caso. No entanto, outros chamados mais urgentes podem deixar de ser atendidos. Mas todas as ligações do 190 são atendidas e gravadas pelos atendentes.

“O 190 deve ser usado para informar ocorrências que estão acontecendo ou prestes a ocorrer, como um roubo em andamento, uma pessoa estranha na casa do vizinho, pessoas suspeitas perto de estabelecimento. Como alguém com capuz e blusa perto de algum estabelecimento ou caso em um dia muito quente, por exemplo”, relatou o chefe do Copom.

COVID-19
Stamato disse que de maneira geral, a Polícia Militar vem reforçando os cuidados necessários para evitar o contágio da covid-19 entre o efetivo. A PM também realiza a higienização periódica dos sistemas de climatização e refrigeração.

“Todas as estações de trabalho são individuais e cada policial é responsável pelo seu local de trabalho. Todos os atendentes usam máscaras e contam com álcool em gel disponíveis durante o seu turno de serviço, além de manterem o distanciamento”, enfatizou o chefe do Copom.

Cristiani Azanha
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

3 × um =