Piracicaba tem aumento de 262% nos casos de dengue em 2021

Segundo a Secretaria de Saúde, foram 4.613 confirmações da doença este ano, enquanto no ano passado foram 1.272, levando em conta o período do início de janeiro a 18 de junho.

Piracicaba (SP) teve um aumento de 262,6% nos casos de dengue do início do ano até esta sexta-feira (18), em comparação com o mesmo período de 2020, de acordo com dados da prefeitura, levantados pelo G1.

Segundo a Secretaria de Saúde, foram 4.613 confirmações da doença este ano, enquanto no ano passado foram 1.272. Não foram confirmados óbitos pela doença em 2020 ou 2021.

A região com maior incidência de casos é a Central, segundo a prefeitura, com 32,5% do total das confirmações. Essa região engloba o Centro, Nova Piracicaba, Nhô Quim, São Dimas, São Judas, Rua do Porto, Jardim Europa, Jardim Monumento, Vila Rezende e Bairro Alto.

Segundo a prefeitura, os dados preocupam a administração, que trabalha ininterruptamente na prevenção da doença, com ações como os mutirões e arrastões em todas as regiões da cidade.

Em nota, a Secretaria de Saúde informou que os agentes do Plano Municipal de Controle da Dengue trabalham de forma preventiva o ano todo para combater o mosquito Aedes Aegypti. “Eles visitam todos os imóveis do município, orientando, retirando criadouros e quando necessário colocando larvicida em possíveis criadouros”, diz a nota oficial.

Outra estratégia é a visita em imóveis fechados, sem moradores, e em imóveis que passam por obras. “Também, todas as quintas-feiras, os agentes executam as entradas forçadas em imóveis (quando não encontramos o proprietário). Em todos os casos, quando encontrado irregularidades é feito a notificação e auto de infração (multa).”

Como prevenir
  • Eliminar os focos de água parada;
  • Manter os pratos de vasos de flores e plantas com areia até a borda do vaso;
  • Guardar garrafas com a boca virada para baixo;
  • Limpar sempre as calhas dos canos;
  • Não jogar lixo em terrenos baldios;
  • Colocar o lixo sempre em sacos fechados;
  • Manter baldes e caixa d´água devidamente tampados e piscinas com colocação de cloro;
  • Deixar pneus ao abrigo da chuva e da água;
  • Furar latas de alumínio antes de ser descartadas para não acumular água;
  • Lavar bebedouros de aves e animais pelo menos uma vez por semana;
  • Em caso de suspeita da doença, entrar em contato imediatamente com uma unidade de saúde mais próxima de sua residência e jamais utilizar medicação por conta própria.
Sintomas

A dengue tem alguns parecidos com a Covid-19. A orientação é que os moradores que apresentem febre, dor de cabeça, dor muscular e manchas na pele procurem algum serviço de saúde para passarem por atendimento e, se necessário, fazerem exames.

Vereadores se reunem para fortalecer retomada do Aedes do Bem

No período de 2015 a 2019, Piracicaba utilizou a tecnologia do Aedes do Bem, da empresa Oxitec, para conter casos de dengue no município. No período os resultados foram positivos, reduzindo significativamente as notificações. Em reunião na Câmara Municipal, o presidente Gilmar Rotta (Cidadania), o vice-presidente Acácio Godoy (PP), a secretária da mesa-diretora Ana Pavão (PL), o vereador Thiago Ribeiro (PSC) e o depurado estadual Alex de Madureira (PSD) receberam o CEO da Oxitec Global, Gray Frandsen  e a diretora geral da Oxitec no Brasil, Natália Ferreira, para fortalecer uma possível retomada do projeto no município, já que os casos da doença vêm aumentando este ano.

Em 2021, até o ultimo dia 4, foram 4.206 casos de dengue, contra 1.306 no ano passado. Apesar do aedes aegypti transmitir também a zika e a chikungunia, não há registros destas duas doenças neste ano, segundo dados da assessoria de Comunicação da Prefeitura.

A tecnologia utilizada pela Oxitec consiste em aumentar a população de mosquitos machos geneticamente modificados que cruzam com as fêmeas selvagens e as larvas geradas por elas não chegam à fase adulta, diminuindo a população do mosquito e de casos de dengue.

A empresa está em uma segunda geração da tecnologia, na qual não se utiliza mais as vans para despejar os mosquitos machos. Agora são colocadas caixas com ovos. “Basta colocar em locais do bairro e água para os ovos eclodirem, facilitando a ação”, explicou Natália.

Ana Pavão ressaltou que os valores inviabilizam a implantação da tecnologia em toda a cidade e disse que gostaria que fosse implantada em pelo menos um bairro. Segundo ela, o seu gabinete recebeu muitas solicitações de cuidados em relação a dengue.

“Foi aí que entramos em contato com a Oxitec e tivemos uma primeira reunião. Foi proposto um programa piloto, mas não seria tão positivo porque perdemos o tempo de procriação do mosquito. Mas agora estamos de novo aqui para fazer acontecer, lembrando que o momento de procriação do aedes é outubro”, disse.

Ela explicou que a proposta é fazer um projeto piloto em um bairro neste ano e ano que vem abranger a cidade. O bairro provavelmente será a Nova Piracicaba ou Cecap.

O vereador Gilmar Rotta disse que a vereadora Ana Pavão irá marcar uma reunião com o secretário municipal da Saúde, Filemon Silvano, o prefeito Luciano Almeida, vereadores e a empresa, mostrando os resultados positivos do Aedes do bem. Ele disse que acompanhou o trabalho nos anos anteriores. “A proposta está parada nos valores. Então é melhor iniciar com um bairro do que ficar sem nada. É um projeto que funcionou na primeira vez e eu participei. Eu sei que funciona. E a gente precisa travar o avanço da dengue em Piracicaba. O trabalho de limpeza da secretaria é importante, mas é necessário fazer mais”, afirmou.

Gray Frandsen disse estar confiante que o poder público de Piracicaba entenda que a dengue é preocupante, principalmente em tempos de covid-19. “Nesta semana vamos percorrer alguns bairros para verificar quais deles são viáveis para o projeto piloto”, afirmou. Atualmente, a empresa, com sede em Campinas, está com o projeto em Indaiatuba com suspensão de casos acima de 90%.

O deputado Alex de Madureira disse que a vinda do CEO da Oxitec mostra a importância de Piracicaba para o projeto Aedes do Bem. Acácio Godoy afirmou que a dengue é um problema grave de saúde pública e que a reunião foi importante para entender os benefícios da tecnologia da Oxitec para o município. Thiago Pereira defendeu a volta da tecnologia, já que os casos de dengue estão aumentando no município e lembrou da necessidade de conscientização da população. “É preciso lembrar a população de não deixar água parada e fazer os descartes de forma correta”, afirmou.

Alexandre Pavão também participou da reunião, representando o deputado federal Guiga Peixoto (PSL).

Da Redação

*Com informações do G1*

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezenove + 13 =