Piracicabano está na 2ª Bienal Internacional

Artista Juliano Silva, é reconhecido internacionalmente. (foto: Claudinho Coradini/JP)

O artista plástico piracicabano Juliano Silva foi selecionado para a 2ª Bienal Internacional de Arte Naif, que acontece entre 14 de setembro e 15 de outubro, no Museu Municipal de Socorro, interior de São Paulo. Silva inscreveu duas de suas obras, limite máximo permitido pelo regulamento, e as duas foram escolhidas.

Segundo o artista, é difícil conter a felicidade com a notícia. “É uma felicidade muito grande participar da Binaif, pois tive o prazer de estar presente na primeira, em 2017, e agora repito a participação”, diz. “É um evento lindo, que reúne todos os artistas numa festa repleta de cores. Costumo dizer que o amor é o único tesouro que aumenta quando dividimos, e essa frase explica muito a Bienal”.

Silva conta que seu contato com a arte Naif se deu por meio de seu pai, Ciro de Oliveira, já falecido, que também era artista. A paixão pelas tintas e pincéis sempre esteve no sangue de Juliano. “Sempre admirei muito a arte, até que chegou o momento em que descobri que era a minha hora de tentar”, relembra o artista. “Iniciei fazendo esculturas em barro e depois passei para os quadros. Em função de ser autodidata, continuo sempre aprendendo, me descobrindo e colorindo como forma de expressar tudo que sinto”.

Uma das obras de Juliano selecionada para 2ª Bienal Internacional de Arte Naif é a pintura “O Circo”, que retrata memórias de infância do autor. “‘O Circo’ reflete minhas memórias de quando eu era pequeno e meu pai me levava ao circo. Acredito que tenha uma mensagem muito importante para os dias de hoje, em que podemos ter a possibilidade de nos conectar com arte circense e os sonhos de seus realizadores”.

Já a outra obra escolhida, “O Realejo”, que retrata o antigo órgão mecânico portátil, surgiu por meio de um sonho do artista. Para Juliano, o quadro representa otimismo, felicidade e gratidão.

BIENAL

A Bienal Internacional de Arte Naïf “Totem Cor-Ação” de 2019 é a segunda edição do evento, promovido pelo Instituto Totem Cultural, e que em 2017 reuniu 108 artistas nacionais e internacionais, com a exposição de 131 obras.

O artista premiado na competição leva para casa um prêmio de R$ 2 mil, além do reconhecimento em um dos mais importantes eventos especializados nesse tipo de arte no país.

Mariana Requena
[email protected]