Plataformas do Jornal de Piracicaba têm audiência global de quase 2 milhões de acessos por mês

Foto: Amanda Vieira/JP

Em mais um aniversário, JP mantém sua tradição e credibilidade, com leitor cativo ainda no impresso

No seu aniversário de 122 anos, neste 4 de agosto, o Jornal de Piracicaba mantém sua tradição de levar informações fidedignas ao seu público, aliando o bom e velho exercício do jornalismo profissional com muita inovação.

O JP foi pioneiro entre os impressos na implantação da sua versão totalmente digital, que atualmente é distribuída aos assinantes pelo WhatsApp e pelo aplicativo JP Digital. Sua versão digital, inclusive, é publicada com páginas adicionais em comparação à impressa, como bônus aos assinantes, com mais notícias nacionais e internacionais sobre esportes, política, economia, segurança, saúde e educação.

Lara Luiza Baesteiro Campeão, por exemplo, só consome notícias por meios digitais e, preferencialmente, pelo celular. Piracicabana que mora em Bauru devido aos estudos – ela cursa jornalismo na Universidade Estadual Paulista -, Lara é uma leitora assídua das plataformas do JP. “Gosto de ler o JP pelo celular porque me possibilita estar informada de uma maneira prática e quase instantânea aos acontecimentos. Considerando, principalmente, que não estou em Piracicaba, ler o JP pelo celular é uma maneira de sempre ficar inteirada das notícias da cidade. Além disso, um fator positivo de ler pelo celular, na minha opinião, é a sustentabilidade”, diz.

Nesse cenário, o periódico oferece ao seu leitor/telespectador todas as possibilidades de interação nas mais diversas plataformas pela internet: em seu Portal jornaldepiracicaba.com.br, no Facebook (facebook.com.br/jpjornal), Instagram (@jpjornal), Twitter (@jpjornal), Youtube (Jornal de Piracicaba), WhatsApp (19.98318-5741), e pelo aplicativo JP Digital. “Temos uma audiência global de quase 2 milhões de acessos ao mês, entre Portal, aplicativos e redes sociais”, diz Alex Rodrigues, diretor de Criação e Publicidade do JP.

Parcerias com o Google News e Google Destaques têm ampliado a perspectiva de entrega e audiência dos canais digitais. Esse intercâmbio de tecnologias tem sido favorável para a distribuição do conteúdo produzido pelo Jornal, avalia Rodrigues. “A presença do JP nas redes sociais têm crescido consideravelmente. São centenas de milhares de seguidores interagindo com centenas de postagens diárias de notícias, vídeos, imagens, eventos, etc. O Portal e as redes sociais são imprescindíveis canais de interação. Suas métricas são importantes para se identificar as preferências dos leitores e oferecer-lhes conteúdos cada vez melhores e mais relevantes”, explica o diretor.

IMPRESSO
E mesmo com todas as transformações pelas quais passa a comunicação, e que o JP acompanha com o avanço de sua audiência digital, o impresso também segue forte. Exemplo é a edição do último dia 29, em que o Jornal trouxe matérias especiais sobre os 100 anos do Distrito de Tupi. Os exemplares se esgotaram nas bancas no meio do dia.

Assinante há mais de 25 anos, Francisco Cella, morador do Bairro Alto, não abre mão da experiência prazerosa que o contato com o impresso proporciona. “Receber um jornal impresso em sua casa, diariamente, pode parecer algo ultrapassado. Porém, para mim, todo dia que se inicia é uma expectativa do que vou encontrar nas páginas do Jornal de Piracicaba. É uma rotina prazerosa em buscar o jornal no jardim de casa, sentar no sofá, e antes mesmo do café da manhã, ler as principais notícias do dia. Já li e ouvi várias vezes que um jornal é o guardião da história de uma cidade. Isso o JP faz há 122 anos, fazendo um jornalismo local, comunitário, comprometido com os interesses e necessidades dos cidadãos piracicabanos. Neste 4 de agosto, cumprimento a todos que fazem deste periódico centenário, ainda uma referência em jornalismo”, diz Cella. E esse é o ponto: estes leitores encontram, no impresso, abordagens mais amplas e aprofundadas para quase todas as notícias que já tomaram ciência, ao longo do dia, pelas plataformas digitais.

E o digital do JP, na dianteira, traz toda a agilidade que o público consumidor de notícia exige: informações precisas postadas na hora do fato e com as necessárias atualizações no decorrer do dia. Tudo isso, na palma da mão, com um click.

Em tempos de Fake News, o Jornal de Piracicaba se consolida não só por ser multiplataformas, mas, essencialmente, pelo dever de oferecer um jornalismo de credibilidade.

DESAFIOS
Diretor responsável pelo JP, Marcelo Batuíra Losso Pedroso fala sobre os desafios pelos quais passam os jornais impressos. “De 2014 para cá, os jornais sofreram um enorme choque disruptivo e seu mundo virou de cabeça para baixo. Foi a partir desse ano que as tiragens impressas começaram a cair. E a receita de publicidade também. De lá para cá muitas novidades no mundo digital foram criadas e depois de algum tempo, esquecidas ou abandonadas. O próprio Facebook que era um ‘monstro’ em termos de conexão entre as pessoas cedeu lugar ao Instagram e ficou seriamente abalado com a venda de dados privados de seus usuários”, comenta.

Segundo ele, nesses últimos 8 anos, “os velhos e tradicionais padrões de entrega de informação foram abalados e precisaram ser reinventados, adaptados e customizados”. “Porém, o fato é que ninguém possui uma bola de cristal e ainda muitas mudanças estão por vir. Um exemplo: os podcasts que fizeram sucesso estão dando lugar a algoritmos de inteligência artificial onde o consumidor prefere ler ao invés de ouvir a informação. Mas quer ler apenas aquilo que lhe interessa. Quer uma entrega personalizada de informação”, cita.

Batuíra fala da importância do jornalismo profissional. “A informação tem custo. Ao menos informação de credibilidade. A pandemia da covid -19 e as últimas eleições mostram isso. Não dá para acreditar em tudo que se recebe pelos grupos de Whatsapp. Os modelos de custeio da informação em todos os jornais do mundo estão migrando, a duras penas, da antiga fonte de renda publicitária para o chamado “paywall” do leitor. A própria mensuração de impacto da informação mudou para um conceito televisivo: audiência. O que antes se media por circulação, hoje se mede por page view”, explica.

Sobre o futuro, Batuíra é realista: “não dá para prever em que direção os jornais irão seguir daqui para frente, mas dá para se ter uma ideia: ouvir o que o leitor quer de informação e criar tecnologia para entregar a ele uma informação personalizada”, finaliza.

JP publica hoje sua edição de número 42.101 de forma ininterrupta; Guardião da história une tradição e inovação. Foto: Arquivo/JP

Administração do JP está na 4ª geração da família Losso

Fundado por Manoel Buarque de Macedo e por Alberto da Cunha Horta, em 4 de agosto de 1900, o Jornal de Piracicaba tinha por objetivo ser independente e cheio de vivacidade. A partir de 1939, ganhou um novo capítulo na história com sua aquisição por José Rosário Losso, família que está à frente do matutino até hoje.

Ao ser adquirido pela família, foi a menina dos olhos dos irmãos Eugênio Luiz Losso e Fortunato Losso Netto. O primeiro, que era pintor, proporcionou ao jornal uma sólida base administrativa e aparatos técnicos que acompanharam os lançamentos tecnológicos da imprensa. Eugênio faleceu em 1974, deixando o legado do periódico ao irmão, Fortunato, que era médico, e imprimiu nas páginas do JP novas ideias e planos que possibilitaram ao diário ultrapassar o século com maestria. Em seus editoriais, crônicas e reportagens, defendeu e contribuiu com o crescimento de Piracicaba.

Losso Netto faleceu aos 74 anos, em 3 de janeiro de 1985. Até os últimos dias, participou ativamente da produção diária e ininterrupta do JP. Seguindo os passos do pai na condução do Jornal de Piracicaba, Antonietta Rosalina Losso Pedroso deu continuidade ao trabalho até 2011. Faleceu aos 77 anos e, hoje, seu filho Marcelo Batuíra Losso Pedroso representa a quarta geração à frente do matutino.

Aos 122 anos, o JP é um patrimônio de Piracicaba e um narrador do desenvolvimento e das mazelas da sociedade.

Nani Camargo
Especial para o JP

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

4 × três =