Polícia Civil: Acusado de negociar venda de drogas pelo WhatsApp é preso

Investigadores apreenderam mais de R$ 6 mil e porções de maconha (Divulgação)

Um homem acusado de receber “encomendas” de droga pelo aplicativo WhatsApp foi preso no início da tarde desta segunda-feira (15), pelos policiais civis da 2a Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) da Deic (Divisão Especializada de Investigações Criminais). Em dois endereços, nos bairros Pompeia e São Francisco,os policiais apreenderam dez porções médias de maconha, R$ 6,1 mil em dinheiro, balança de precisão e material plástico para embalagem das drogas. O suspeito apresentou-se na sede da delegacia especializada, acompanhado de seu advogado após a ação policial.

Por volta das 12h, os policiais da delegacia especializada apuraram um disque denúncia, cujas informações aportavam que um rapaz estaria comercializando entorpecentes, utilizando ainda de aplicativo WhatsApp para receber as encomendas e marcar as entregas. Os policiais passaram a realizar os levantamentos necessários e identificaram o suspeito, bem como um segundo endereço onde este acessava constantemente – um imóvel ainda em construção, localizado no bairro São Francisco.
Os policiais seguiram até ao imóvel do denunciado, no bairro Pompeia, mas ele não foi encontrado, no entanto, após os investigadores conseguirem a autorização de um familiar, eles fizeram buscas no imóvel, onde localizaram no guarda-roupas um rolo plástico exalando forte odor de maconha, juntamente com valor em dinheiro.
Os policiais seguiram até ao no imóvel em construção, localizado no bairro São Francisco, onde apreenderam sobre o forro de gesso, porções médias de maconha já embaladas e prontas para venda, uma balança de precisão e outro rolo de plástico.
Durante a diligência, os policiais descobriram que o suspeito estaria em seu local de trabalho, porém após este tomar ciência da ação policial, ele apresentou-se na sede da Dise com seu advogado, assumindo a propriedade da droga e valores localizados.

O rapaz foi preso e responderá a acusação de tráfico de drogas. Depois encaminhado à carceragem, onde ficou até ser apresentado à audiência de custódia.

Cristiani Azanha

[email protected]