Polícia Civil alerta para golpes no WhatsApp

Aplicativo de mensagens são os mais usados pelos golpistas, segundo aponta a Polícia Civil (Crédito: Claudinho Coradini/JP)

Golpistas migraram para a tecnologia e partiram para as redes sociais e aplicativos para fazer novas vítimas, que são atraídas por uma proposta tentadora, solicitação de empréstimos de amigos, ou coagidos por ameaças de sequestros de familiares ou divulgação na internet de fotos pessoais. Pesquisa realizada pela PSafe, desenvolvedora de software de segurança apontou que 8,5 milhões de brasileiros tiveram seus aplicativos clonados.

O delegado Seccional Américo Sidnei Rissato disse que a segurança também deve ser reforçada no mundo virtual. “No caso do WhatApp há a possibilidade de alterar a configuração para reforçar a segurança em duas etapas. Outra orientação é evitar abrir links de qualquer tipo, desde oferta de brindes, como sorteio de produtor, além de baixar vídeos. Se possível, tente acessá-los pela plataforma Youtube, que é mais segura”.

Delegado Seccional, Américo Sidnei Rissato, pede para a população ficar atenta aos golpes cibernéticos e dá dicas para identificar “armadilhas” (Crédito: Amanda Vieira/JP)

Segundo ele, na região de Piracicaba, um dos golpes mais realizados é o uso do WhatsApp para a solicitação de empréstimos. “Antes de fazer o depósito na primeira oportunidade, é necessário confirmar se realmente a pessoa está pedindo. Se possível, faça uma chamada de vídeo para confirmar se realmente é a pessoa. Perceba que na maioria dos golpes, há apenas mensagens escritas e note que são diferentes da pessoa que você tem algum contato. Caso perceba que foi vítima, procure a Polícia Civil para registrar a ocorrência. É possível localizar os responsáveis, mas nem sempre é possível recuperar o dinheiro”, enfatizou o delegado. “Não despreze a capacidade de ludibriar as vítimas, pois assim como os demais tipos de estelionatários, a abordagem é bem articulada”, completou.

VÍTIMA

Um empresário de Piracicaba foi mais um número na estatística dos golpes. Na última segunda-feira (6), em tese, no primeiro dia útil do ano, percebeu que teve seu WhatApp clonado. “Foi assustador, percebi que tinha umas 30 ligações em espera e não conseguia interagir com todas as pessoas, pois minha lista de contatos foi invadida e solicitaram empréstimo de dinheiro em meu nome. Alguns conhecidos acabaram efetuando o depósito da quantia em contas de terceiros”, disse o empresário, A.R.Z, 40.

Ele afirmou ainda que abriu as portas de seu aplicativo, após ser chamado por um perfil falso de um coach muito conhecido de São Paulo. “Um homem que se passou por assessor de imprensa do coach fez um convite para uma participação vip em uma palestra em Copacabana (RJ). Mesmo não aceitando a proposta, ele me convenceu a conferir o convite da palestra. Acabei aceitando um link ‘falado’ e a partir daí fiquei vulnerável”, disse a vítima, que afirmou que dias antes do contato, percebeu que o coach passou a acompanhar seus stories nas redes sociais, mas na verdade, acredita que o perfil era falso.

Cristiani Azanha

Felipe Poleti

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezenove + 18 =