Polícia Civil localiza 4 homens que fizeram castração de cavalo com canivete

Vídeo divulgado nas redes sociais mostrou sofrimento do animal (Reprodução)

Quatro homens foram parar na delegacia após serem acusados de fazer a castração de um cavalo com canivete e sem anestesia, na manhã desta sexta-feira (15). Eles responderão pelas acusações de maus-tratos, mutilação de animal e exercício ilegal de profissão, pois o homem que teria executado o procedimento não tinha formação em medicina veterinária. Todos os suspeitos foram encaminhados à sede da Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes), onde o caso foi registrado. O animal foi avaliado por uma veterinária, que confirmou que o cavalo, apesar das condições da castração que ocorreu há mais de 20 dias, aparenta estar em bom estado de saúde. Ele ficou na propriedade do responsável.

De acordo com os policiais, uma protetora entrou em contato com os investigadores para denunciar um vídeo com a castração, que foi divulgado nas redes sociais. Os policiais acabaram identificando a propriedade, que fica no Água Branca.

Nas imagens, é possível observar dois homens segurando um cavalo com as quatro patas amarradas, enquanto um terceiro indivíduo realiza a castração do animal a sangue frio, removendo os testículos sem anestesia e utilizando um canivete, enquanto que outro homem, narrava e realizava a filmagem do procedimento.

Os policiais afirmaram que no vídeo está explícito o sofrimento do animal, o qual se contorce e relincha de dor, bem como respira de maneira ofegante. Os quatro envolvidos foram localizados e levados à delegacia especializada, onde prestaram depoimento ao radiotelemétricos Gondim Coelho.

Cavalo já está recuperado do procedimento (Reprodução)

O animal foi localizado e passou por uma veterinária da Prefeitura, que constatou que, ainda que o equino tenha sido submetido a cruel sofrimento, correndo grande risco de morte por parada cardíaca ou torção gástrica devido a extrema dor, atualmente encontra-se recuperado, com ferimento já cicatrizado e em excelente condição de saúde, portanto não foi apreendido e permaneceu na fazendo de seu proprietário.

Cristiani Azanha

[email protected]