Polícia Militar descobre fábrica de falsificação de bebidas no Cecap

0
2.926 views
Um homem foi preso (Claudinho Coradini/JP)

Uma denúncia anônima ajudou os policiais militares do 10º BPM/I (Batalhão da Polícia Militar do Interior) na localização de uma fábrica de falsificação que funcionava em uma residência, no Cecap, na tarde desta quinta-feira (23). Um homem foi preso. Foram apreendidos 36 garrafas de uísque, 36 unidades de essências, 37 lacres de bebidas numerados e 519 garrafas vazias, bem como vários materiais para envase.

O tenente da PM Vinícius de Castro Ávila explicou, um denunciante entrou em contato com a PM pelo telefone 190 e avisou sobre a falsificação de bebidas que ocorria em uma casa. “Quando os policiais chegaram, encontraram o proprietário na frente da casa. Ele permitiu a entrada dos policiais que localizaram as bebidas”, disse o policial.

Homem alegou que vendia as bebidas em comércios da cidade (Claudinho Coradini/JP)

Segundo ele, o suspeito comprava bebidas mais baratas e depois da adulteração vendia por um preço maior. “Ele fazia o envase da bebida e respectiva troca de rótulo. Também misturava essências para um sabor e assim falsificar a bebida original”, disse o policial.

Ávila também destacou a falta de higiene durante a adulteração de bebidas. “A casa está suja, além de não ter nenhum cuidado sanitário”, afirmou o tenente.

Abordagem foi feita pela PM (Claudinho Coradini/JP)

O suspeito, que é dono de uma adega na cidade, relatou que vendia em seu próprio estabelecimento, além de bares e restaurantes da cidade. Ele já tinha antecedentes pela mesma acusação.

A perícia do IC (Instituto de Criminalística) apreendeu algumas amostras para fazer exames de compatibilidade e alguns lacres. O laudo deverá ficar pronto em 30 dias.

O homem foi detido e encaminhado à delegacia, onde prestou depoimento e liberado em seguida. Ele vai responder pelo artigo 272 do Código Penal que incrimina quem “corromper, adulterar, falsificar ou alterar substância ou produto alimentício destinado a consumo, tornando-o nocivo à saúde ou reduzindo-lhe o valor nutritivo”.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × 4 =