Polícia prendeu mais de 4 pessoas por dia, em janeiro, segundo a SSP

Equipes policiais em operações (Divulgação)

Levantamento divulgado pela SSP (Secretaria de Segurança Pública) apontou que 142 pessoas foram presas nos 31 dias de janeiro de 2020, que representa a média de 4,58 detenções por dia, além de 11 armas que foram retiradas da criminalidade. De acordo com a Pasta, indicadores relacionados à crimes contra o patrimônio estão em ligeira queda. Entre eles está o destaque de veículos. Apresentou queda de 31,57% dos registros, em relação ao mesmo mês do ano passado. Com 19 casos em 2019, contra 13 em 2020. O furto de veículos também teve diminuição das ocorrências com 64 casos, no ano passado e 50 neste ano (queda de 21,87%). As outras modalidades

roubo (outros), que abrange ações contra pedestres, empresas ou residências, por exemplo, tiveram 58 casos em 2019 e 54 em 2020 (queda de 6,89%). Furtos outros registraram 296 em 2019 e 281 em 2020.



Nos crimes considerados “contra a vida”, como homicídio houve aumento. Foram três casos em 2020 e apenas um no ano anterior.

O delegado Seccional de Piracicaba, Américo Sidnei Rissato considerou que a certeza da punição contribui para a diminuição dos crimes. “Tudo indica que estamos trilhando o caminho certo. Somos sabedores de que polícia nas ruas inibe o crime como também temos a certeza de que a punição pelos crimes praticados serve como um desestímulo àqueles que pensam em entrar para a vida do crime.

Segundo ele, todos após casos apresentados pelas Guarda Civil, Polícias Militar e Civil, Guarda Municipal e também às vítimas que procuram direto nossos plantões são muito bem avaliados. “Realizamos um trabalho em conjunto. Sempre fazemos reuniões com os demais órgãos ligados ao sistema de Justiça Criminal. Estamos sempre Reforçando e aperfeiçoando as medidas que dão certo e corrigindo nossos rumos quando necessário. Enfim, trata-se de um trabalho contínuo. Os foras da lei podem ter a certeza que sempre serão alcançados pela Justiça”, afirmou Rissato.

Cristiani Azanha

[email protected]