Pontal do Paraná mistura lindas praias com festival gastronômico

Foto: Pexels

Distante 100 km de Curitiba, Pontal tem 48 balneários, incluindo o ponto de partida para a Ilha do Mel

O Paraná é um dos estados brasileiros mais lembrado para o turismo, afinal é lá onde ficam a icônica Cataratas do Iguaçu patrimônio natural apreciado pelos brasileiros e estrangeiros.

Mas não é só as belezas naturais de uma floresta subtropical que possui o estado, o clima frio e a arquitetura remetendo ao colonialismo do século 19 também é bem presente nas cidades sulistas e um convite para explorar a calmaria dos municípios paranaenses também é um convite.

Por falar em cidades pequenas o convite para viajar não é visando as cidades mais famosas do estado como Curitiba ou Londrina e sim a cidade a beira do mar denominada de Pontal do Paraná.

Comparada com outras cidades, Pontal do Paraná é bem jovem, pois foi criada em dezembro de 1995 e tem 26.636 habitantes, segundo estimativa do IBGE/2018. Fica no litoral a uma distância de 100 km da capital Curitiba e tem como atividades principais o turismo, comércio, pesca e artesanato. Dos 50 km de extensão em praias do Paraná, 23 km se encontram em Pontal do Paraná, tornando o município totalmente voltado às atividades praianas. Tem 48 balneários, incluindo Pontal do Sul – principal ponto de partida para a Ilha do Mel.

FESTIVAL

Atualmente, como uma forma de reaquecer o comércio local a cidade está realizando um evento gastronômico com a tradicional culinária caiçara que está senso celebrada desde a semana passada no dia 16 e que continuará até o dia 25 de julho.
Em sua primeira vez, o Festival de Gastronomia Caiçara exalta a Cambira, prato que tem como data comemorativa, no município de Pontal do Paraná, o dia 18 de julho, mas que continuará sendo comemorado até o fim do evento. Para degustar a Cambira tradicional e outras delícias típicas, o público pode escolher entre 16 restaurantes inscritos no Festival.

CAMBIRA

Patrimônio da cozinha brasileira, a Cambira é originalmente preparada com peixe seco e defumado, acompanhada da banana e pirão. Há mais de 300 anos, os portugueses introduziram o sal na região, que passou a ser utilizado na conservação do peixe – especialmente da Tainha que é abundante no litoral do Paraná. O nome (Cambira) remete ao cipó muito presente no litoral, conhecido por sua flor de cor roxa, que era a base do varal usado para a defumação. Uma vez seco, o peixe vai para a panela de barro com água e especiarias (tomate, pimentão, coentro, pimenta e bananas), e vira um caldo grosso. Ele é servido com pirão, salada e arroz

Retomada do turismo no litoral do Paraná

Para Gilberto Keserle, secretário municipal do turismo e desenvolvimento econômico de Pontal do Paraná, embora aconteça em meio à pandemia, o Festival está sendo organizado de uma maneira segura. ‘Não haverá concentração em apenas um espaço. O festival acontecerá em diversos restaurantes da região, todos capacitados para atender o público dentro dos protocolos exigidos neste momento’, ressaltou.

Larissa Anunciato
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

3 − 3 =