População sugere mais plantio de árvores na cidade

Parte da população não tem interesse em abordar o tema (Foto: Amanda Vieira/JP)

Em pesquisa encomendada pela Prefeitura, que faz parte do Plano Municipal de Arborização Urbana, a principal demanda da população sobre o tema, de acordo com o estudo, é de que o Poder Público deveria ampliar o plantio de árvores nas ruas, praças e parques de Piracicaba. O levantamento, segundo o Poder Publico, pretende integrar e envolver a comunidade piracicabana na importante tarefa de preservar e expandir esse patrimônio arbóreo, tornando a cidade uma referência na sua gestão.

A ação foi sugerida por 34,4% das pessoas, enquanto 30,1%, ao responder a pergunta ‘Como a arborização poderia ser melhorada?’, responderam que a solução é cuidar e podar “adequadamente” as árvores existentes. Conscientizando a população sobre a importância das árvores com educação ambiental foi a alternativa alçada para 28,2% dos entrevistados. Os 7,3% restantes ficaram entre respostas como ‘não danificando árvores’ ou por meio de ‘sistema de fiscalização mais rigoroso e eficiente’.

Outro questionamento à população local pedia uma avaliação da ‘qualidade de manutenção do parque ou praça’ mais próxima à residência. Neste item, a maioria – 40% – respondeu ser apenas ‘regular’, isto é, um grau de satisfação menor do que o ‘bom’ (32,5%) e ‘ótimo’ (3,3%). Outros 16,5% avalia como ‘ruim’ e 7,7% como ‘péssimo’.

O questionário foi realizado entre os dias 29 de novembro de 2019 e 28 de janeiro 2020. Na avaliação da Prefeitura, a meta pretendida com a consulta pública de abranger pelo menos 2,5% da população não pôde ser atingida e entende que falta interesse da população no que diz respeito ao tema arborização. “O número de respostas obtido (418) foi considerado baixo, representando cerca de 1% do número de habitantes de Piracicaba, o que denota, de imediato, o desinteresse das pessoas pelo tema e a necessidade de se estimular a participação comunitária nas atividades relacionadas com a proteção e o plantio de árvores na cidade”.

No entanto, quando questionados se, individualmente, colaboram para melhorar a arborização da cidade, 75,4% dos entrevistados responderam que ‘sim’, ante 24,6 que ‘não’. A maioria dos participantes (64,8%) ainda afirmou possuir árvore em frente à sua propriedade.

Além disso, a qualidade da arborização foi considerada regular por quase metade da população (45,5%); apenas 9,1% dos participantes a consideraram ótima, 19,6% a avaliaram como boa e 6,2%, como péssima.

Já os principais problemas apontados pelas árvores urbanas foram: destruição de calçadas pelas raízes (41,8%); acidentes decorrentes da queda de árvores ou galhos (27%); interferência das árvores na rede de energia e comunicação (23,5%); redução na iluminação pública; e sujeira em ruas e calçadas.

Erick Tedesco