Porquê a panturrilha é considerada nosso segundo coração

Foto: Divulgação

Cirurgião vascular explica que a contração da musculatura ajuda a bombear o sangue venoso dos membros inferiores

Inchaço e sensação de cansaço, peso e formigamento nas pernas, pés e tornozelos: esses são alguns dos principais sintomas da má circulação nos membros inferiores. E para dar adeus a esses desconfortos é fundamental trabalhar a musculatura da panturrilha, região considerada o segundo coração do organismo, por causa do seu papel no retorno do sangue ao coração.

Embora a panturrilha, conhecida popularmente como “batata da perna”, seja lembrada muitas vezes apenas pela responsabilidade de proporcionar equilíbrio ao corpo, ela também tem função especial no retorno do sangue venoso, o que já circulou pelo corpo, ao coração, já que esse trajeto é feito contra a ação da gravidade.

De acordo com o cirurgião vascular e membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), Márcio Steinbruch, é a panturrilha que facilita a circulação, pois quando ela se contrai e relaxa, empurra o sangue das extremidades para cima.

“A circulação começa com o coração bombeando o sangue com uma força intensa para todo o organismo, depois de levar oxigênio e nutrientes para todas as extremidades do corpo, ele precisa retornar. Contudo, esse caminho não é tão simples, principalmente nos pés e pernas, sendo necessário os impulsos da panturrilha para conseguir completar o trajeto, como uma bomba complementar do corpo”, explicou o especialista.

Márcio reforça que isso ocorre porque “com a contração da musculatura da panturrilha as veias da perna são comprimidas e faz pressão para impulsionar o sangue para cima”. Por isso, é necessário ter atenção à saúde dessa região e adotar alguns hábitos que ajudam a melhorar a circulação.

Para isso, é importante fortalecer a musculatura da panturrilha. “A atividade física é a principal aliada, como corridas, ciclismo, musculação e até mesmo caminhadas, que podem ajudar a liberar a passagem de sangue. Além disso, é importante evitar passar longos períodos na mesma posição, sem movimentar as pernas”, aconselhou o cirurgião vascular.

“Quem trabalha em pé ou sentado, deve dedicar alguns minutos durante o dia para fazer movimentos com os pés, como se estivesse pisando no acelerador do carro, e outra dica é intercalar momentos para se sentar e andar. No fim do dia, deite-se com as pernas levantadas a um nível acima do coração, para ajudar o corpo a drenar o sangue”, concluiu Steinbruch.

Da Redação

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

cinco × um =