Postar foto com a carteirinha de vacinação pode trazer problemas

Advogada orienta que golpistas podem usar dados para clonagem ou exposições nas redes sociais. (Foto: Divulgação)

Depois de quase um ano da pandemia da covid-19, a oportunidade para a primeira etapa da tão esperada vacina é motivo de comemoração. Nas redes sociais virou febre as fotos com o cartão de vacinação. No entanto, essa iniciativa que parece inocente, pode ser a oportunidade perfeita para golpista, que não poupam criatividade para conseguir novas vítimas.

A advogada Margareth Kang, do escritório PDK, especializado em proteção de dados pessoais, alerta que a publicação da foto com o cartão de vacinação expõe dados pessoais do próprio titular, mas também de terceiros. Dados pessoais do titular podem ser, a depender da carteirinha: nome, CPF, número da carteirinha do SUS, tipo e data das duas doses da vacina, nome do hospital/laboratório/ instituto onde foi realizada a aplicação. Já, dados de terceiro são, por exemplo, a assinatura, rubrica ou nome do aplicador da vacina, assim com como o local onde ele trabalha (hospital, laboratório ou instituto), e a data da aplicação das doses, que acaba por comprovar que esse colaborador foi ao trabalho em determinado dia.

“A exposição de tais fotos nas redes sociais implicam da publicização das informações pessoais do próprio titular, assim como de terceiros, que em mãos de pessoas mal intencionadas podem gerar diversos riscos, fraudes e crimes, como extorsão, roubo de identidade e falsificação do cartão de vacinação.

“Além disso, as informações desses cartões podem, inclusive, servir de confirmação de bases de dados vazados ou comercializados na internet”, afirmou a especialista.

Margareth explicou ainda que o ponto de partida ao divulgar tais fotos não deve ser a preocupação com um golpe em si, mas o fato de que, uma vez que a foto seja publicada na internet, a potencialidade dessa imagem ganhar vida eterna é considerável. Imagine que essa foto foi publicada no seu feed do Instagram, um de seus seguidores pode tirar uma ‘print’ dessa imagem, passar para um grupo de WhatsApp, e daí em diante não tem mais controle, ou seja, uma vez que algo é publicado na internet é necessário considerar que nem sempre se terá o controle.

“Nesse sentido, a reflexão deve considerar também que a carteira de vacinação da covid-19, possui dados de terceiros, dos aplicadores da vacina, que em nenhum momento assinaram a carteirinha com o fim da publicização da foto podendo, inclusive, ser contra a divulgação de seus dados pessoais.

DADOS CLONADOS

Margareth disse ainda que será muito difícil verificar se e quando os dados foram clonados. Mas em caso de clonagem/roubo de carteirinha de vacinação, junte comprovantes desse ato e dirija-se à delegacia mais próxima para fazer um B.O. (boletim de ocorrência) informando o caso. “Ressaltamos que se trata de um caso de saúde pública e, portanto, a falsificação de carteiras de vacinação da covid-19 pode trazer riscos à sociedade”. Segundo ela, pode postar a foto, mas omita (borre) os dados pessoais da carteirinha.

Cristiani Azanha
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

8 + vinte =