Postos de gasolina têm menos clientes mesmo com preços mais baixos

Queda do movimento chega a 50% a 60% (Foto: Arquivo/Agencia Brasil)

Entre às 18h e 19h nos dias da semana é uma espécie de ‘horário de pico’ em postos de combustíveis. É quando pessoas, ao saírem do trabalho, se deslocam a estes estabelecimentos, antes retornar às suas casas. No entanto, o cenário tem sido outro desde a última segunda-feira (23). Não raramente se vê os frentistas em rodas de conversa ou estáticos perto das bombas, ávidos por alguma movimentação – leia-se carros ou motos para abastecer. A queda do movimento é latente.

Mesmo com o etanol mais barato em relação à primeira quinzena de março, comenta Augusto César Mafía, diretor regional do sindicato dos donos de postos de combustíveis, falta clientes. “A queda é violenta devido às medidas por causa da disseminação da Covid-19 (novo coronavírus). Já a queda do preço é porque estamos no início da safra da cana-de-açúcar”, ele comenta.



Esta semana o preço do etanol na cidade varia de R$ 2,79 a R$ 2,89, isto é R$ 0,10 mais barato em relação à média do preço da semana retrasada.
“O índice é medido pela Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), e a variável reflete apenas na semana seguinte à sua divulgação”. Como destaca Mafía, o etanol pode ficar ainda mais barato na próxima semana em Piracicaba.

A queda da clientela na maioria dos postos de combustíveis na cidade, estima Mafía, é de 50 a 60% em relação ao período anterior à semana em que governos estimularam o isolamento social dos cidadãos. “Caíra muito as vendas, mas o abastecimento continua normal, inclusive os carregamentos de etanol e gasolina às bombas”, revela o diretor do setor patronal da região.

Mafía aponta o fechamento do comércio de rua como um fator fundamental para a queda do movimento nos postos. “É a dinâmica quebrada: com o comércio fechado, as ruas ficam paradas”.

Inclusive, ele afirma, já existem postos na cidade que adeririam ao horário especial de atendimento ao cliente devido à pandemia da Covid-9, que é das 7 às 19h. A redução é uma determinação da determinação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Demissões no setor é outro efeito da doença, que teve o primeiro caso confirmado em Piracicaba na última terça-feira (24). “Estamos analisando alternativas para mudar este quadro”, garante Mafía.

Erick Tedesco