Preço do etanol na bomba sobe mais de 50% na cidade

Foto: Claudinho Coradini/JP

A gasolina também subiu entre 2020 e 2021: a alta foi de 45,4%; Cepea avalia pressão no varejo

O preço do álcool combustível (etanol) subiu 52,2% em Piracicaba entre os meses de junho deste ano e de 2020. O valor médio do litro passou de R$ 2,739 para R$ 4,169. De abril até agora, o preço do combustível feito com cana-de-açúcar nos postos subiu 15,3%, de R$ 3,616 para R$ 4,169. A movimentação do varejo na cidade consta da base de dados da ANP (Agencia Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Em maio, o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), já registrava que “a safra 2021/22 vai caminhando com preços firmes para os dois etanóis (hidratado e anidro) e também para o açúcar cristal no mercado interno”.

Conforme as informações do Centro de Estudos da Esalq, após queda em abril – primeiro mês oficial da safra –, os preços dos etanóis subiram de maneira expressiva em maio. Dados do Cepea mostram que, no caso do hidratado, o indicador Cepea/Esalq mensal de maio foi o maior desde fevereiro de 2020, quando esteve em R$ 2,971 o litro, em termos reais – os valores foram deflacionados pelo IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) de maio deste ano. No caso do etanol anidro, o indicador mensal é o mais elevado desde março de 2018, quando foi de R$ 3,326 por litro.

“O suporte veio do aquecimento da demanda em algumas semanas do mês, com distribuidoras realizando reposição de estoques, mesmo num cenário de perda de competitividade do biocombustível frente à gasolina comum nas bombas paulistas. Em maio, o volume de hidratado comercializado pelas usinas de São Paulo cresceu 33,6% frente ao de abril e 14,8% na comparação com maio de 2020”.

Olhando o volume comercializado pela indústria sucroenergética de São Paulo, o comparativo entre maio e abril mostra que a venda dos etanóis aumentou 45%, registra o Cepea. “Esse comportamento pode estar atrelado a flexibilizações de medidas restritivas, que devem ter elevado a circulação de pessoas e de veículos, especialmente em alguns feriados.”

GASOLINA
O combustível fóssil não ficou muito distante do vegetal em valorização entre o ano passado e 2021: alta de 45,4% – o valor médio do litro em junho de 2020 foi de R$ 3,749; atualmente este número está em R$ 5,45. Já a alta comparativa neste ano, de abril a junho, foi menor: de 4,30%, passando de R$ 5,225 para R$ 5,45 o litro.

Mesmo com preços salgados, inclusive da gasolina, ainda compensa abastecer o veículo com o derivado de petróleo – para saber como optar pelo melhor custo-benefício, divida o preço do litro do álcool pela gasolina e só escolha o etanol caso o resultado do cálculo seja inferior a 0,7.

Daniele Ricci, 48, analista de comunicação, está trabalhando de casa, o que foi importante para não repassar o preço do combustível aos seus clientes. “Meu carro é à gasolina. São quase R$ 6 por litro. Com R$ 50 eu já não vou a lugar nenhum, são cerca de 10 litros apenas. Um absurdo!”

Cristiane Bonin
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

4 × quatro =