Preço médio do material escolar é de R$ 288, segundo apurou o JP

Janeiro é o mês de maior movimento nas palelarias, pois a volta às aulas está aí. (Fotos: Claudinho Coradini/JP)

Levantamento realizado pela reportagem do Jornal de Piracicaba constatou que a lista de material escolar na cidade, – contendo apenas os itens básicos como cadernos, lápis de cor, canetas, lápis, borracha, dicionários de português e de português-inglês -, custa, em média, R$ 288. Foram feitas consultas em três lojas de diferentes corredores comerciais da cidade. Janeiro é o período em que as lojas têm maior movimento.
É nesta época, que os pais ou responsáveis já pensam na volta às aulas dos filhos e com ela é chegada a hora de encarar a famosa lista de material escolar. De acordo com lojistas de Piracicaba, não haverá reajuste significativo nos preços, mesmo com a recente alta do dólar, uma vez que os estoques para este período foram fechados em agosto do ano passado.
“No geral, o aumento foi na faixa de 3,5%. [Por conta do dólar] não houve alteração. Ainda não, porque a gente se prepara a partir de agosto. [Conseguimos] manter mais o preço justamente por causa disso”, comenta o comerciante Edson Takashi Otsubo.

Reajuste foi 3,5% em média, segundo Edson Takashi

Também comerciante, Flávio D’ávila complementa que o “papel, por exemplo, apesar do dólar e de a gente comprar no dia a dia, se manteve no mesmo preço”. De acordo com D’ávila, o maior reajuste de preços ocorreu nas novidades em relação aos personagens que estampam os cadernos, por exemplo. “Estes talvez sejam mais caros em relação ao básico, mas eles não têm comparativo porque não tinham no ano passado, como os personagens novos que entram agora. [Então] os preços estão basicamente os mesmos”, afirma.
Aline Danelon de Toledo, 38, comerciante, já está comprando o material escolar da filha de 9 anos, que vai para o 4º ano do Ensino Fundamental. “Acho que está o mesmo preço do ano passado, pelo que estou olhando. Esse é o primeiro ano que ela está levando caderno espiral, então, para mim, é novidade. Mas os lápis de cor estão com os mesmos preços do ano passado, não subiu muito,” explica.
A expectativa de aumento nas vendas de materiais escolares para este ano, em relação ao mesmo período do ano passado, está na média de 5%. “De acordo com o que a gente tem visto, a espera de crescimento é de 5 a 8%, como ocorreu no Natal”, lembra Otsubo.
O que tem maior impacto na variação dos preços são as diferentes marcas e personagens presentes nos produtos disponíveis no mercado. “[Tem] caderno para criança, brochura, [que] custa R$25,00 com personagens. Um liso, vendo a R$7,00. Ambos têm a mesma qualidade”, aponta Júlio Medeiros, comerciante.

Segundo Aline, entraram novos itens na lista de material

Na hora da escolha, os pais levam em conta desde o gosto do filho até a qualidade do material. “Levo em consideração a marca, porque [pode] chegar na metade do ano e já ter que trocar todo o material. Aí se você pega uma marca boa, o material dura
mais”, considera Aline.

Já a dona de casa Michele Romani de Campos, 38, acabou cedendo à vontade do filho de 11 anos, que vai para o 6o ano Ensino Fundamental. “A gente procura ver a marca, se é boa, mas acaba sedendo. Aí paga não pelo conteúdo, mas pela marca. Se levar e der resultado [na escola] até que vale a pena,” aponta.
Desta forma, a lista, que no ano passado ficou em R$180. este ano está, só com os cadernos, segundo Michele, R$250. Isso porque a preferência do filho levou em consideração as séries mais famosas que assistiu. “Ano passado, era um [caderno] verde, um amarelo […] Esse ano, eles já podem escolher a capa. Então de R$9,90 vai para R$22,90 cada”, enfatiza.

Andressa Mota
[email protected]