Preços dos etanóis do tipo combustível e o adicionado à gasolina sobem no início da safra

Foto: Alessandro Maschio/JP

Segundo Cepea/Esalq/USP, o etanol hidratado chegou ao preço de R$ 3,8401 na produção em abril

Os preços médios dos etanóis hidratado (utilizado como combustível) e anidro (adicionado à gasolina) subiram com força no Estado de São Paulo em abril, primeiro mês oficial da safra de cana-de açúcar 2022/23. O tipo hidratado teve o preço do litro variando de R$ 3,4135 para fechar em 3,4965 – o maior valor semanal foi verificado na terceira semana de abril, R$ 3,8401. Já o anidro aumentou de R$ 3,8288 para fechar o mês em 4,0663 – a cotação mais alta também aconteceu no mesmo período do anidro e chegou a R$ 4,2295. Os valores correspondem ao preço do praticado pelo produtor e não no varejo.

O impulso para o setor alcooleiro veio da baixa oferta de biocombustível nesse período, tendo em vista o ainda pequeno número de usinas ativas no mês. Assim, o atraso no início da moagem e também o pouco volume de matéria-prima remanescente da safra anterior definiram a conjuntura e os preços em abril. As cotações e análises citadas são do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) da Esalq/USP (Escola Superior de Agricutura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo).

Segundo relatório da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), a queda na produção do combustível foi grande no comparativo entre as primeiras quinzenas de abril de 2021 e 2022: o setor produziu no período 397,53 milhões de litros, um recuo de quase 46% para o etanol na região Centro-Sul, a maior produtora brasileira.

Para o consumidor, conforme pesquisa semanal da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), abastecer com etanol nos postos de Piracicaba também ficou mais caro em abril: o preço médio do litro nos postos iniciou o mês em R$ 4,682 e fechou o período em R$ 5,278, chegando a um valor máximo de R$ 5,599.

Ao checar a movimentação registrada pela Unica nos primeiros 15 dias de abril, as vendas domésticas demonstram crescimento. Foram vendidos no País 680,37 milhões de litros de etanol hidratado – o que representa alta de 3,15% frente ao período do ano passado – e 347,68 milhões do tipo anidro foram comercializados, um crescimento de 11,78%.

CARNES
A carne vermelha continua em alta ‘dentro da porteira’, puxada pela demanda para exportação e poucas cabeças para o abate. Nem o frango salva o prato do brasileiro: os altos patamares de negociação verificados no começo de abril garantiram que a média mensal superasse a registrada em março. As variações são medidas pelas análises agromensais do Cepea/Esalq/USP.

Sobre a carne vermelha, “apesar de registrarem oscilações diárias, os preços do boi gordo ainda se mantiveram em patamares elevados ao longo dos primeiros meses deste ano”, registra o Cepea, indicando que o preço do produtor ainda está ‘salgado’ devido à “forte demanda externa e da oferta enxuta de animais para abate”.

Agora sobre a carne branca, o Cepea verificou que “mesmo com recuos nos preços da carne de frango nos últimos dias do mês [de abril], os altos patamares de negociação verificados no começo de abril garantiram que a média mensal superasse a registrada em março”.

Cristiane Bonin
[email protected]jpjornal.com.br

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

3 × três =