Prefeito aumenta restrições e endurece valores das multas

‘Situação da saúde é crítica e faltam profissionais’. Foto: Claudinho Coradini/JP

Medidas restritivas entram em vigor a partir deste domingo (13) e vão até dia 30 de junho

O prefeito de Piracicaba, Luciano Almeida (DEM) anunciou ontem medidas mais restritivas no enfrentamento da pandemia de covid-19. As mudanças entram em vigor a partir deste domingo. O democrata classificou a situação como crítica, mas descartou um novo lockdown. Luciano abriu o discurso falando da dificuldade diante da falta de profissionais – desde médicos até assistentes sociais – nas UBSs. O prefeito disse que o número diário de infectados tem preocupado. Segundo ele, são de 350 a 400 novos casos por dia, apesar de a Secretaria de Saúde divulgar números de até 290 casos diários.

Luciano disse ainda que, mesmo com o índice de mortalidade em 1,9%, a quantidade de novos casos diariamente, resulta, em media, em até oito mortes por dia. “Nossa meta é diminuir o número de positivados”, afirmou.

De acordo com o decreto publicado ontem, com medidas mais restritivas,aquarentena segue até o dia 30. Entre as mudanças está a comercialização de bebidas alcoólicas, que não será permitida no período das 20h até as 6h. A prefeitura também vai punir com mais rigor qualquer tipo de aglomeração em festas, aumentando para isso o valor das multas aos infratores.

Luciano disse que a administração procurou o consenso com a sociedade e todos os segmentos envolvidos, buscando equilíbrio entre salvar vidas e não comprometer a economia do município. O democrata destacou que ontem a taxa de ocupação dos leitos
públicos de UTI foi de 98% e de enfermaria 75%. No setor privado, os percentuais chegaram a 81% da UTI e de 78% para enfermarias. Piracicaba registrou ontem seis mortes e 292 casos de covid-19.

“Gostaria de pedir às pessoas que nos próximos dias mantenham a distância, continuem usando máscara e evitem sair de casa após as 21h”. De acordo com o decreto, as atividades comerciais e de serviços devem se encerrar até as 21h, inclusive supermercados.O transporte coletivo vai encerrar às 22h. O documento proíbe a realização de música ao vivo nos estabelecimentos. A utilização de mesas e cadeiras em calçadas somente poderá ocorrer se o estabelecimento possuir alvará de licença e com o limite máximo de ocupação de 40%”.

MULTAS
Dado o caráter clandestino de eventos e o combate preventivo à disseminação da Covid-19, será aplicada, imediatamente, pena de multa em festas clandestinas, independentemente de notificação prévia ou advertência. Entre as multas estão: musicistas que participam e locadores dos espaços: R$ 30 mil reais. Responsáveis pelos equipamentos, comércio no local de bebidas e alimentos, colaboradores da organização e realização: R$ 10 mil reais e apreensão de equipamentos, bebidas e utensílios.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezoito − quatro =