Manifestações no campus Luiz de Queiroz devem ser liberadas (Crédito: Amanda Vieira/JP)

O prefeito Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), Roberto Arruda de Souza Lima anunciou ontem a anulação e a revisão da norma 004 que tratava sobre manifestação no campus em Piracicaba. Ele classificou como ‘um lamentável ruído de comunicação’, que foi desfeito durante reunião anteontem com DCE (Diretório Central dos Estudantes), Centro Acadêmico , Associação dos Pós Graduando e representante da deputada estadual Professora Bebel (PT). Arruda informou que tudo foi esclarecido e uma nova resolução será publicada no Diário Oficial.

Segundo ele, o propósito da norma era beneficiar os alunos, mas acabou mal compreendida. “No último semestre de 2019 houve o problema com o contingenciamento e cancelamento de bolsas de estudos. Alunos, justificadamente, protestaram na época. Durante os protestos, observou-se que os alunos não dispunham de espaço para suas manifestações. Uma portaria de 2009, por exemplo, proibia a fixação de cartazes. Apesar desta proibição, a manifestação transcorreu muito bem. Mas a ausência de espaço para manifestação incomodou tanto prefeitura quanto alunos e, por esta razão, realizou-se, na época, reunião bastante amistosa entre prefeitura e representantes dos alunos da graduação e da pós graduação”, contou.

O prefeito disse que a ideia da resolução surgiu naquele momento. “Também foi considerada a necessidade de respeitar o código de ética, que veda manifestações discriminatórias, como racismo e sexismo.”, afirmou.

Como se tratava de tema de interesse dos alunos, a minuta da resolução foi enviada e discutida por alunos tanto da graduação quanto da pós-graduação. A falha de comunicação ocorreu no momento que críticas e sugestões não foram enviadas para prefeitura, que assumiu que estavam todos de acordo com o texto.



Beto Silva

[email protected]



DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

10 − sete =