Prefeitura do Rio de Janeiro ameaça suspender circulação do BRT

Prefeitura do Rio de Janeiro ameaça suspender circulação do BRT
Fonte: Agência Brasil

A prefeitura do Rio de Janeiro anunciou hoje (19) que poderá suspender por 24 horas a circulação do BRT, caso a recomendação para evitar a lotação dos veículos de forma a reduzir a transmissão do novo coronavírus (Covid-19) não seja cumprida. A medida será tomada apenas se todas as demais recomendações que começam a ser articuladas hoje (19) pela prefeitura não funcionarem. 



“Se, com essas medidas, houver a desobediência civil dos empresários, dos operadores do sistema e dos passageiros, o BRT será suspenso. Esperamos que isso nunca ocorra. Isso será um fracasso nosso como sociedade. Porém, se fracassarmos, o BRT será suspenso por 24 horas e, depois, inclusive, por períodos mais longos”, alertou o prefeito Marcelo Crivella. 

O BRT liga, na cidade do Rio de Janeiro, a zona sul da cidade, onde há mais casos de Covid-19, de acordo com a prefeitura, à zona oeste. 

Em portaria publicada nesta terça-feira (17), o Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro) determinou que os veículos de transporte públicos e de empresas de turismo que circulem na região metropolitana do Rio transportem apenas passageiros sentados. [LINK 1] A medida, no entanto, segundo Crivella, vem sendo descumprida. 

Prefeito Crivella apresenta medidas contra o coronavírusPrefeito Crivella apresenta medidas contra o coronavírus
Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, disse que pretende intensificar a fiscalização do transporte público – Arquivo/Agência Brasil

“Mais uma vez, peço aos motoristas que, por gentileza, não parem no ponto de ônibus quando seu veículo estiver com todo os assentos lotados. Se o ônibus ficar cheio, o motorista tem autoridade para parar o ônibus, colocar a chave no bolso e se negar a continuar. Em defesa da vida das pessoas que estão ali e da sua própria”, disse. 

Fiscalização

O prefeito disse que pretende intensificar a fiscalização do transporte público na cidade. Para isso, envia nesta quinta-feira (19) um pedido à Câmara Municipal para alterar a escala dos guardas municipais das atuais 60 horas de folga para cada 12 horas trabalhadas para uma jornada de 36 horas de folga para cada 12 horas trabalhada. A medida é enquanto durar o combate à pandemia da Covid-19. 

Com o aumento da jornada dos guardas, será possível, de acordo com Crivella, intensificar a fiscalização, hoje concentrada nas principais estações, para os demais pontos de embarque e desembarque. 

Para evitar a lotação, o prefeito pede também que todos os veículos estejam em circulação, o que será monitorado nas garagens por fiscais da Secretaria Municipal de Transportes.

“Faço um apelo aos empresários. Nós não estamos priorizando o lucro de ninguém, estamos priorizando a vida das pessoas, de tal maneira que os ônibus devem circular, todos eles devem ir para as ruas. Isso vai diminuir o intervalo entre eles”, disse.  

Caso essas medidas não sejam efetivas para reduzir a lotação e evitar, assim, a propagação da Covid-19, Crivella anunciou que irá suspender a circulação do transporte. 

BRT Rio

De acordo com o BRT Rio, houve queda no número de passageiros. A redução foi de cerca de 30% quando se comparada esta segunda-feira (16) com a da semana anterior.

Em nota, o Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio de Janeiro (Rio Ônibus), que congrega as empresas operadoras do transporte rodoviário de passageiros do município do Rio de Janeiro e o sistema BRT, disse que está trabalhando “incessantemente junto às empresas e ao poder público para controlar o embarque e a lotação dos coletivos da cidade, mas alerta que é impossível fazer cumprir a determinação da prefeitura de não circular com passageiros em pé sem o apoio das autoridades. Entendemos a gravidade e apelamos pelo apoio”. 

Profissionais de saúde

O prefeito anunciou também a convocação de 280 enfermeiros e técnicos em enfermagem para atuar na saúde pública municipal. São profissionais que já haviam sido aprovados em concurso público e que aguardavam em lista de espera.

Além disso, para se preparar para o atendimento aos pacientes mais graves, a prefeitura aguarda o recebimento de cerca de 800 respiradores. Em abril deverão chegar 200 e o restante, em maio. O município conta ainda com a ajuda federal, que adquiriu também respiradores.

Prefeitura do Rio de Janeiro ameaça suspender circulação do BRT