Prestigiado jornal japonês pede o cancelamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Parceiro oficial dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, adiados em um ano por causa da pandemia do novo coronavírus, o jornal japonês Asahi Shimbun pediu o cancelamento das Olimpíadas em um editorial publicado nesta quarta, dia 26. Um dos mais prestigiados do país, o jornal citou riscos à segurança pública e ao sistema de saúde que já deixou 12.394 mortos no Japão.

Pesquisas de opinião recentes mostraram que a maioria dos japoneses se opõe à realização dos Jogos Olímpicos este ano, dado que o evento esportivo levaria milhares de estrangeiros a um país onde pouco mais de 5% da população está vacinada. A lista de organizações e pessoas que protestaram contra Tóquio-2020 inclui associações de médicos, investidores e empresários independentes como Masayoshi Son, CEO do SoftBank.

Por se tratar de um dos principais jornais do Japão, o editorial do Asahi Shimbun deve aumentar as discussões sobre a viabilidade dos Jogos Olímpicos. A publicação foi amplamente compartilhada nas redes sociais, recebendo interação de mais de 30 mil tuítes até o final da manhã desta quarta (noite de terça no Brasil).

“Pedimos ao primeiro ministro Yoshihide Suga que avalie a situação com calma e objetividade e decida sobre o cancelamento do evento neste verão. Estamos longe de uma situação em que todos possam ter certeza de que estarão seguros e protegidos, disse o jornal, fazendo referência ao lema do governo sobre os Jogos Olímpicos. “Infelizmente, essa não é a realidade”.

Grande parte do Japão, incluindo a cidade-sede Tóquio, permanece sob estado de emergência até o final deste mês. Embora tenha sido poupado da devastação em níveis vistos em outras nações, o país ainda convive com altos níveis de contaminação pela Covid-19 e tem lutado para controlar uma quarta onda de infecções.

Agência Estado

LEIA MAIS:



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

3 + dois =