Professor é agredido a pauladas por aluno em escola estadual

Professor conversava com o estudante, que começou a ficar agressivo, e o acertou com uma paulada. Agressão ocorreu na última sexta-feira (16) na escola estadual Maria de Lourdes Cosentino. (foto: Amanda Vieira)

Um professor de educação física foi agredido por um aluno na escola estadual Maria de Lourdes Cosentino, na Vila Sônia. A agressão ocorreu na última sexta-feira e o educador precisou ser socorrido por uma unidade do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). O professor conversava com o estudante – que começou a ficar agressivo – e o acertou com uma paulada na cabeça.

Na segunda-feira (19), a presidente da Apeoesp (Sindicato os Professores do Ensino Oficial do Estado), Maria Izabel de Azevedo Noronha, a Professora Bebel, foi até a unidade e conversou com os profissionais.

Bebel, que também é deputada estadual pelo PT, disse que levou solidariedade aos professores e atribuiu o episódio ‘a estrutura precária do sistema educacional no Estado’. Para ela, há excesso de alunos nas salas de aula e, ao mesmo tempo, há falta de professores e funcionários nos estabelecimentos educacionais para dar conta da demanda.

“Lógico que também é necessária a realização de rondas da PM (Polícia Militar) no bairro, mas na área interna da escola há a necessidade de uma política educacional que envolva a comunidade escolar, inclusive com um maior número de funcionários para dar conta da demanda. Afinal, escola é local para se aprender e é necessário, para isso, oferecer uma estrutura que atenda a necessidade do estabelecimento”, diz.

Bebel disse que o problema da violência nas escolas vem se agravando.  “Esse problema, que infelizmente já é rotina nas escolas estaduais, é objeto da Frente Parlamentar em Defesa da Segurança nas Escolas, da qual sou coordenadora na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), e que será convocada brevemente para continuar a discussão sobre a situação existente, para formular propostas visando enfrentar o problema”, ressalta.

A Secretaria da Educação do Estado confirmou a agressão. Em nota a pasta informou que  o Samu foi imediatamente acionado e os primeiros socorros ao professor foram prestados ainda dentro da unidade. “Os responsáveis pelo estudante foram chamados, assim como a polícia. O boletim de ocorrência foi registrado. O Serviço de Apoio ao Menor está acompanhando o caso. A gestão escolar reunirá o Conselho de Escola para analisar o caso e definir as providências adotadas”, informou em nota.

 

Beto Silva
[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezenove − 6 =