Profissionais buscam destaque no mercado de trabalho através da produção de livros

Especialista explica que escrever um bom livro requer conhecimento, planejamento e disciplina. (Foto: Freepik)

O Brasil vive uma das maiores crises econômicas das últimas décadas. No trimestre passado, o desemprego atingiu 14,6% dos brasileiros e, segundo a Fundação Getúlio Vargas, essa taxa pode atingir 16% neste ano. Dentro desse cenário, profissionais de diferentes ramos buscam maneiras para se destacar no mercado de trabalho.

Há diversas estratégias para se conseguir uma recolocação, entre elas estão: networking, recorrer a empresas de recolocação profissional e a produção de conteúdo. Essa última, permite que o profissional demonstre o seu conhecimento e experiência escrevendo sobre um assunto que domina. Pode ser um blog, um site, uma página nas redes sociais, ou o formato mais ambicioso e eficaz: o livro.

Para Eduardo Villela, profissional com mais de 16 anos no mercado editorial e especialista em assessorar pessoas e famílias e empresas na escrita e publicação de seus livros, a produção de livros por profissionais com experiência em gestão de negócios (ex.: gerentes e executivos) e profissionais liberais e autônomos, como médicos, psicólogos, contadores, arquitetos, engenheiros e advogados, cresceu consideravelmente nos últimos anos. “Esses profissionais que, tradicionalmente, não tinham o hábito de escrever livros, perceberam que era uma excelente oportunidade para se destacarem entre os colegas, ganharem relevância, clientes e deixarem legado. O interesse desses perfis em terem os próprios livros continuará crescendo nos próximos anos”, conclui o especialista.

Essa tendência do mercado editorial foi facilitada pelos e-books que permitiram uma maior facilidade na divulgação de uma obra sem a necessidade de editoras e gráficas. Porém, Villela alerta para o que ele considera uma banalização do e-book. “O conteúdo de um e-book deve ter a mesma qualidade e cuidado dedicados à construção de um livro impresso.Muitos profissionais, no ímpeto de publicar uma obra para ganhar notoriedade e autoridade sobre um tema, produzem conteúdos superficiais e que agregam pouco aos leitores”,afirma Villela.

Antes de se debruçar na escrita de um livro é preciso que o autor principiante conheça muito bem o tema que falará a respeito, conheça também as características do público-alvo e estruture um bom roteiro de capítulos. Construir um livro bem-feito exige planejamento, organização, disciplina e orientação especializada.

Da Redação

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

nove + 12 =