Projeto ‘Acessibilidança’ traz dança moderna, africanidades e Libras

Apresentação é amanhã, com o bailarino Elísio Pitta

O espetáculo ‘Rio sem Margem’, do coreógrafo e bailarino Elísio Pitta, da Bahia, estreia no Festival Funarte Acessibilidança amanhã (quarta-feira), às 20h. A montagem utiliza elementos da dança moderna, do teatro, da dança dos orixás, da capoeira e outros símbolos da ancestralidade africana, unificando dança, vídeo, projeção, cenário e interpretação corporal em Libras. A obra é um dos 25 projetos contemplados pelo Prêmio Festival Funarte Acessibilidança Virtual 2020, que serão apresentados ao longo do ano, até outubro. Segundo Pitta, cumprir o cronograma de ações foi um desafio e, ao mesmo tempo, uma fonte de descobertas. “Estudamos e construímos juntos sob uma narrativa virtual e de muita observação.

Tivemos que aprender a respirar, a se adaptar, a testar novas formas de trabalho e a entender as limitações do outro”. E reforça: “participar do Festival Acessibilidança é um dos pontos altos na nossa trajetória neste ano de 2021. Foi como um oásis em meio a este deserto de oportunidades que se instaurou em nossas vidas, como artistas e criadores da dança”. SERVIÇO Para assistir a ‘Rio sem Margem’, acesse o YouTube da Funarte. Para ver todos os espetáculos já lançados, escolha no link ‘bit.ly/FunarteYouTubeFestivalAcessibiliDanca’.

Cristiane Bonin

[email protected]

Leia Mais:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × 1 =