Projeto de inovação da Unicamp recebe inscrições de alunos do ensino médio

Participantes são capacitados para transformar ideias em planos de negócio (Foto: Divulgação)

A maior competição de empreendedorismo do país voltada para o Ensino Médio, promovida pela Agência Inova Unicamp, está com inscrições abertas até 27 de agosto. O Inova Jovem 2020 requer uma ideia na cabeça, uma equipe formada por alunos da mesma escola e um foco: contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU (Organização das Nações Unidas) com soluções que tenham aplicações práticas no cotidiano da sociedade.


A participação é gratuita e os estudantes passam por capacitação para desenvolver as ideias e transformá-las em planos de negócio. As equipes devem ter entre três e cinco alunos. Os seis melhores modelos de negócio avaliados vão concorrer, na final, a até R$5 mil por equipe, além dos certificados.

Os ODS são “saúde e bem-estar”, “educação de qualidade”, “energia limpa e acessível”, “cidades e comunidades sustentáveis” e “consumo e produção responsáveis”. “A gente ensina eles a transformar ideias em negócios, produtos e serviços que têm impacto socioeconômicos”, conta o diretor-executivo da Inova Unicamp, Newton Frateschi.

Durante a competição, os estudantes participam do workshop de inovação, canvas e negócios sociais. Em seguid de recebem treinamentos de pitch (defesa da ideia do negócio em poucos minutos) e mentoria com profissionais de vasta experiência no mercado. Neste ano, todas as fases da competição serão online.

“Nós vamos falar sobre duas coisas nesse workshop; como inovar, principalmente nessas áreas que têm impacto de desenvolvimento sustentável, vamos ter a apresentação de uma pessoa que trabalho justamente nessa área, e vamos ensinar a eles a fazerem o canvas de modelagem de negócio”, explica Frateschi.

A final da competição será em 23 de outubro. “Tem um julgamento popular e de uma banca de especialistas”, lembra Frateschi.

Para o diretor-executivo da Inova Unicamp, o segredo dos finalistas pode estar já na hora de montar as equipes, tendo pessoas com habilidades diversas e complementares.

“A segunda coisa é ler bem esses objetivos sustentáveis e tentar encontrar exemplos de ações que fazem esse tipo de coisa: onde está a energia limpa, onde isso existe? A partir daí, o mais importante é pensar no impacto que você quer ter”, comenta Frateschi.

As inscrições devem ser feitas pelo site.

Andressa Mota