Projeto prevê transporte de animais domésticos em ônibus

Objetivo é auxiliar famílias nos cuidados com o animal

Animal deve pesar dez quilos no máximo e estar acondicionado em caixas específicas para transporte

Animais de pequeno e médio portes vão poder ser transportados nos ônibus do transporte público em Piracicaba, desde que estejam em caixas de transporte e que sejam levados a atendimento veterinário. Essa é a proposta da protetora e vereadora Alessandra Bellucci, do Republicanos. O projeto de lei deu entrada ontem (9) na reunião da Comissão de Justiça e Redação da Câmara de Vereadores. De acordo com a propositura, fica permitida a locomoção de animais até o local de atendimento médico veterinário. O projeto prevê que o deslocamento deverá ocorrer sem prejudicar a comodidade e a segurança dos passageiros e de terceiros ou causar qualquer alteração no funcionamento da linha.

Na justificativa apresentada pela parlamentar, com o retorno das castrações no CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), e com possíveis parceiras entre clínicas veterinárias e o município, é importante o transporte dos tutores com seus animais em ônibus municipais. “Em vista da dificuldade que famílias de baixa renda encontram em se locomover com seus animais até o local de atendimento médico veterinário e visando o bem-estar tanto do munícipe quanto de seu animal, a locomoção dessas pessoas, para atendimento médico veterinário irá ajudar, e muito, essas famílias”, traz a justificativa. De acordo com o texto, fica autorizado o translado de animais domésticos e/ou domesticados de pequeno e médio portes nos transportes coletivos municipais. Para isso, é proibido o animal que, por sua espécie, ferocidade, peçonha ou saúde, provoque o desconforto ou comprometa a segurança do veículo, de seus usuários ou de terceiros.

O animal deve pesar dez quilos no máximo, estar acondicionado em caixas para transporte, sem saliências ou protuberâncias, à prova de vazamento, limpo, não contendo água, alimentos ou dejetos que possam causar qualquer tipo de incômodo aos demais passageiros. Segundo a proposta, o responsável pelo animal terá direito ao transporte no período de uma hora antes, e uma hora após o procedimento médico veterinário. A empresa Tupi, responsável pelo transporte público, foi procurada ontem para comentar a proposta, mas até o fechamento desta matéria não houve retorno.

Beto Silva

[email protected]

Leia Mais:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

14 + 19 =