Projeto restaurará 6,5 hectares de mata atlântica na cidade de São Paulo

jornal da usp

O projeto do Parque CienTec é uma das seis propostas para gestão sustentável aprovadas em edital da Superintendência de Gestão Ambiental

A Superintendência de Gestão Ambiental (SGA) divulgou os seis projetos selecionados para implantar ações de manejo sustentável que garantam a conservação das reservas ecológicas da USP.

O valor total de recursos investidos pela SGA é de R$ 500 mil e o valor máximo destinado a cada projeto é de R$ 100 mil. O objetivo é assegurar a sustentabilidade e a preservação da biodiversidade e dos ecossistemas das áreas protegidas, por meio de ações de uso, conservação e proteção dos recursos naturais, inclusive com a implantação das estruturas físicas necessárias à sua gestão.

“Da área total ocupada pela USP, cerca de 30% são de reservas florestais, o que representa um dos maiores patrimônios de nossa Universidade. O manejo, a pesquisa e o uso para a educação ambiental de nossas reservas ecológicas contribui para o meio ambiente de todo o Estado de São Paulo. Dessa forma, a alta qualidade dos projetos selecionados propiciará resultados que beneficiarão não só a USP, mas toda a sociedade paulista. Sem dúvida, o sucesso deste edital nos incentiva a lançar outros no futuro, para que possamos motivar cada vez mais nossa comunidade a ampliar sua consciência ambiental”, explica o superintendente de Gestão Ambiental, Tercio Ambrizzi.

Os projetos já começaram a ser implantados e terão dois anos de duração, contados a partir do dia 30 de abril de 2021. As ações também podem contar com parcerias e contrapartidas externas.

UnidadeProjeto selecionado
ESALQ/DiretoriaÁgua e Reservas Ecológicas – Plano Participativo e Integrado de Restauração e Manejo da Microbacia do Monte Olimpo no Campus USP Luiz de Queiroz – Piracicaba
Parque CienTecReflorestamento no Parque Cientec: Recuperação Integrada de Mata Degradada por Incêndio na Década de 1990
PUSP-FCPreservação da Biodiversidade nas Reservas Ecológicas do Campus USP Fernando Costa
PUSP-LQContenção de Resíduos para Recuperação de Microbacia em Campus Universitário – Plano Participativo e Integrado de Restauração e Manejo da Microbacia do Monte Olimpo no Campus USP Luiz de Queiroz
PUSP-RPÁreas de Interesse Ecológico do Campus USP de Ribeirão Preto: proposta de sustentabilidade, interdisciplinaridade e indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão
PUSP-SCElaboração de Plano de Ações para o Manejo e Gestão das Reservas Ecológicas da USP no Campus USP de São Carlos

Reflorestamento do Parque Cientec

Um dos projetos aprovados é o de Reflorestamento do Parque de Ciência e Tecnologia da USP (Parque Cientec), localizado no bairro da Água Funda, na cidade São Paulo. O Parque Cientec faz parte da maior área de conservação de Mata Atlântica na cidade de São Paulo, conhecida como Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, que também abriga o Zoológico de São Paulo e o Instituto de Botânica.

A área que será restaurada com plantas nativas da mata atlântica possui aproximadamente 6 hectares e corresponde a um trecho da mata que foi destruído por incêndios provocados por quedas de balões. Uma área menor, de aproximadamente 0,5 hectare, ao lado do Meliponário, abrigará espécies de plantas atratoras de abelhas nativas, que não têm ferrão. Dessa forma, o projeto garante o repovoamento da flora e das abelhas, ambas ameaçadas e dependentes entre si.

“Até agora, realizávamos apenas ações pontuais para dirimir a degradação da área. Com o lançamento deste edital, as equipes dos setores administrativo, educativo e a direção do Parque CienTec se empenharam para construir, de forma comunitária, uma proposta completa, que abrangesse vários aspectos. Todos os funcionários evoluíram na capacitação para realizar e gerir seus projetos”, explica o diretor do parque, Flávio Augusto de Souza Berchez, coordenador da iniciativa.

Segundo a assistente de direção do parque, Edna Fialho, “o valor investido pela SGA será de R$ 100 mil, com contrapartida do próprio CienTec. Os parceiros externos – incluindo várias unidades da USP, a Universidade Federal do ABC e a Associação Abelhas no Meu Jardim – colaborarão com a manutenção e expansão do meliponário, com o plantio de mudas e com atividades educativas voltadas para escolas públicas”.

Entrada de uma das trilhas do Parque CienTec – Foto: CienTec

O projeto também prevê a ampliação das iniciativas educacionais envolvendo 57 escolas, assim como a comunidade do entorno. Serão ações de conscientização da população quanto à importância da preservação ambiental, palestras e cursos de arborização, reciclagem e compostagem, por exemplo.

“Na área do Meliponário, será lançada a campanha Adote uma árvore no Parque CienTec, em que o público visitante terá a oportunidade de plantar uma muda selecionada pelo projeto, que receberá uma identificação personalizada. O visitante receberá informações sobre as características da árvore, a importância do plantio de árvores nativas e o papel das abelhas e outros integrantes da fauna, e poderá acompanhar o crescimento de sua muda”, revela Ailton Bassini, coordenador do setor educativo.

A expectativa é que o reflorestamento do parque também propicie novas oportunidades de pesquisas e incentive os docentes da Universidade a realizarem mais aulas práticas com alunos de graduação, aproveitando suas instalações e equipamentos como o radar meteorológico, o monitor sísmico e o planetário.

“As ações que serão realizadas estão inseridas em vários dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, cuja implementação são uma prioridade para a USP: Fome zero e agricultura sustentável; Saúde e bem-estar; Educação de qualidade; Redução das desigualdades; Cidades e comunidades sustentáveis; Ação contra a mudança global do clima; e Vida terrestre”, reforça Berchez.

Reservas ecológicas da USP

Macaco bugio nas dependências do Parque CienTec – Foto: CienTec

A USP dedica mais de 30% de seus 7.600 hectares de território para a conservação de áreas verdes, fragmentos de florestas semideciduais e cerrados que ainda mantêm considerável biodiversidade nativa, integridade estrutural e funcional.

Seis campi possuem áreas consideradas reservas ecológicas: Lorena, Piracicaba, Ribeirão Preto, Pirassununga, São Carlos e São Paulo (distribuídas entre a Cidade Universitária e o Parque CienTec, na Água Funda), todas regulamentadas por uma legislação interna.

Ao todo, são 2.519 hectares de reservas que contribuem para a conservação do ecossistema e da biodiversidade local, para a produção de conhecimento e formação de recursos humanos, além de outras atividades de cultura e extensão de serviços à comunidade, servindo de exemplo para a elaboração de políticas públicas.

Fonte: Jornal da USP

Leia Mais:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

vinte + doze =