Protetores morrem e deixam 95 gatos nas casas no Bairro Alto

2
5.804 views
Gatos esperam novo lar (Divulgação)

A maioria dos protetores tem uma história de vida dedicada em prol da causa animal. Mas quando a morte bate à porta dos ativistas o que acontece? O aposentado Rodney Ralf, 75 anos,que residia no Bairro Alto, teve mais de 15 anos de cuidados com gatos. Já chegou a ter 70 felinos, mas foi acometido de algumas doenças e com a ajuda de outras pessoas conseguiu doar vários e quando precisou ser hospitalizado em decorrência de diabetes, o protetor tinha 35 gatos.

Gatos esperam uma oportunidade (Divulgação)

Eles estavam sendo cuidados pela protetora Ana Rosa,58 anos, que apesar de seus 70  felinos ainda arrumava tempo para cuidar dos pets do amigo Ralf, mas ele sofreu uma parada cardíaca e não resistiu.

Mesmo com problemas de saúde, Ralf fazia questão de cuidar de seus gatos (Reprodução)

Na mesma semana, Ana teve complicações em decorrência de uma trombose e também morreu. Ficaram “órfãos”, aproximadamente 95 gatos.

Após a morte de Ralf, Ana começou a cuidar dos felinos do amigo, mas morreu na mesma semana
(Reprodução)

Sensibilizada com a situação, a protetora Adriana Bethiol assumiu a luta para as despesas com os animais. Ela mantém com rifas, as despesas com aluguel, água e energia elétrica da casa.

Despesas com aluguel, água e energia elétrica são mantidos com rifas (Divulgação)

Adriana também ajudou o filho de Ana que morava na casa e estava desempregado a arrumar um novo emprego. “Já conseguimos doar vários gatos com os devidos cuidados e triagem, mas ainda restam 40. A maioria é adulto e precisa muito de um novo lar”, afirmou.

Todos os gatos estão castrados (Divulgação)

TRISTES

Adriana disse ainda que alguns gatos que restaram não são violentos ou agitados. Apenas estão amedrontados. “Sempre quando vou lá eu fico triste, pois fica evidente nos olhinhos que eles estão sentindo a falta da Ana que era muito carinhosa e diariamente falava com os gatinhos. Hoje, eles precisam de apenas uma chance. Já tivemos uma adotante que levou dois gatos ariscos e hoje dormem com ela na cama”, disse a protetora.

Gatos só precisam de um período de adaptação (Divulgação)

A protetora e especialista em comportamento Thaty Freitas relatou que os gatos adultos precisam apenas de um tempo para se adaptarem. É uma oportunidade também ao adotante de fazer um vínculo e conectar-se com o novo amigo”, disse Thaty.

Adotante terá uma oportunidade de criar os próprios vínculos com o felino (Divulgação)

O deputado Bruno Ganem (Podemos) usou suas redes sociais para pedir apoio a protetora.

Deputado Bruno Ganem pediu apoio de doações nas redes sociais (Divulgação)

DOAÇÕES

A protetora Adriana disse que já conseguiu, por meio, das rifas a quantia para o pagamento do aluguel, água e energia elétrica. “Precisamos muito de doações de ração de gatos, granulado de areia e sachês para os gatos idosos que já não tem os dentinhos. Quem puder ajudar de alguma forma com as doações de ração ou adotar algum felino pode entrar em contato pelo telefone (19) 98279-3310.

Muitos gatos são idosos e só comem sachês (Divulgação)

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

2 COMMENTS

  1. Fico tão triste, gatos são tão apegados a seus donos. Eu acho que eles pensam que foram abandonados por seus protetores quando não vêem a pessoa morta.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 × cinco =