Quanto tempo você tem?

Foto: Pexels

No parque, uma mulher sentou-se ao lado de um homem. Ela disse:

“Aquele ali é meu filho, deslizando no escorregador”. “Um bonito garoto”, respondeu o homem – e completou: “Aquela de vestido branco, pedalando a bicicleta, é minha filha”.

Então, olhando o relógio, o homem chamou a sua filha: “Melissa, o que você acha de irmos?” “Mais cinco minutos, pai. Por favor. Só mais cinco minutos!”

O homem concordou e Melissa continuou pedalando sua bicicleta, para alegria de seu coração. Os minutos se passaram, o pai levantou-se e novamente chamou sua filha: “Hora de irmos agora!” Outra vez Melissa pediu: “Mais cinco minutos, pai. Só mais cinco minutos!”

O homem sorriu, dizendo: “Está certo!”

A mulher, então, comentou: “O senhor é certamente um pai muito paciente”. O homem, sorrindo, afirmou: “O irmão mais velho de Melissa foi morto no ano passado por um motorista bêbado, quando montava sua bicicleta perto daqui. Eu nunca passei muito tempo com meu filho e agora eu daria qualquer coisa por apenas mais cinco minutos com ele. Eu me prometi não cometer o mesmo erro com Melissa. Ela acha que tem mais cinco minutos para andar de bicicleta. Na verdade, eu é que tenho mais cinco minutos para vê-la brincar…”

Conhecer o mundo, outro país? Acumular bens? Ser feliz só quando realizar determinado sonho? E o agora?Enfim, ninguém é feliz considerando apenas o ter. Será que você não está sendo manipulado por imposições sociais ou padrões comportamentais não coerentes com sua essência? Para ser feliz é preciso viver por um propósito, maior, afinal, daqui não levamos absolutamente nada. Mas, o que deixaremos?

Em uma das aulas do meu Curso “Educando a Mente”,trato do tema “Gestão do Tempo”. Nem tudo o que nos parece “importante” ou então nos“diverte” está realmente cumprindo este papel. Nem tudo é ou tem que ser prioritário como pensamos que seja e nem tudo o que é necessário é indispensável. A hora tem sessenta minutos para todos; a diferença está em como você usa cada minuto do seu tempo!Eficiência não é eficácia. Há muita gente matando o tempo (e se matando junto) tentando fazer as coisas da maneira “certa”, entretanto, escolhendo coisas “erradas”ou desnecessárias para fazer! Há também o agravante de inserirmos em nossa vida pessoas que são “pesos”, ao invés de “combustíveis” para nosso desenvolvimento.

Cada dia que passa o ser humano se distancia mais dele próprio.As facilidades seduzem.O atalho facilita.Só que engana, deixando o caminho, paradoxalmente, ainda mais longo e doloroso!Relacionamentos, bens, prazeres, consumismo, compulsão, vícios, alienação.Na verdade, fugas, de si mesmo.Nas redes sociais a vida editada; na vida real o encontro com a dor que, num círculo vicioso, ‘dá um tempo…’ através dos atalhos…Que enganam…Por pouco tempo…Sim, é ele: este triste círculo vicioso, que está adoecendo e matando felicidade, vidas.Não se “tampona” a realidade.Desobedientes ou iludidos, muitos insistem, infelizmente.Eles não aceitam encarar e retirar o espinho.Eles tentam aliviar a dor que vem do espinho cravado; dor que volta cada vez pior!Utópico e destruidor círculo vicioso, enquanto o tempo vai passando…

“Não é a morte que me importa, porque ela é um fato. O que me importa é o que eu faço da minha vida enquanto minha morte não acontece, para que essa vida não seja banal, superficial, fútil, pequena”. (Mário Sérgio Cortella)

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

5 × 2 =