Queda de avião: velórios de piloto e copiloto ocorrerão nesta quinta em Piracicaba

Copiloto Giovanni Dedini Gullo e piloto Celso Elias Carloni (Reprodução)

O corpo do piloto Celso Elias Carloni, 39 anos, foi liberado na tarde desta quarta-feira (15) no IML (Instituto Médico Legal), após a confirmação com 100% de certeza da análise das respectivas arcadas dentárias, segundo a Polícia Civil. O velório ocorrerá a partir das 8h desta quinta-feira no Cemitério Parque da Ressurreição, em Piracicaba. Já o velório do copiloto Giovanni Dedini Gullo, 24 anos, está previsto para começar às 10h desta quinta-feira (16), no Cemitério da Saudade, também em Piracicaba. Eles estavam no avião bimotor que explodiu após bater em um barranco perto da Fatec (Faculdade de Tecnologia), no Santa Rosa nesta terça-feira (14). Gullo era muito conhecido no Aeroporto Pedro Morganti, pois também conduzia aeronaves para paraquedistas. Gullo residia no Terras do Engenho, em Piracicaba e Carloni, em Sorocaba.

Na aeronave também estavam o empresário Celso Silveira Mello Filho, 73 anos, a esposa Maria Luiza Meneghel Silveira Mello, 71 anos, os filhos do casal: os gêmeos, o agropecuarista Celso Meneghel Silveira Mello, 46 anos, Fernando Meneghel Silveira Mello, a administradora de empresas Camila Meneghel Silveira Mello Zanforlin, 48 anos, que foram sepultados na tarde desta quarta-feira (15), no Cemitério da Saudade e um deles cremado. O velório foi reservado para familiares e alguns amigos. Políticos da cidade e Bia Doria, esposa do governador João Doria foram prestar solidariedade à família.

O delegado Fábio Rizzo de Toledo, que conduz o inquérito policial sobre o caso disse que na identificação do empresário, além dos pertences, foi possível realizar o exame das luvas datisloscópicas (impressões digitais) no IIRGD (Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt) de São Paulo com resultado positivo. “Em decorrência do estado dos corpos dos outros familiares, as respectivas identidades foram determinadas, por enquanto, somente pelo reconhecimento dos objetos pessoais, mas ainda iremos realizar outras diligências, uma delas é o confronto de DNA”, relatou.

Destroços do avião já foram retirados (Claudinho Coradini/JP)


Já as identidades do piloto e do copiloto foram feitas por meio de uma série de exames, um deles foi a análise das arcadas dentárias que foram concluídas com 100% de certeza. “A investigação de polícia judiciária será feita conosco, pois iremos apurar se houve falha humana e mecânica para analisar se houve a responsabilidade de alguém”, disse o Toledo.

Segundo ele, o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) vinculado à Aeronáutica vai fazer a avaliação técnica sobre a causa da queda do avião, bem como a análise da caixa preta da aeronave, que já está com o Cenipa. “O laudo do Cenipa será anexado no inquérito policial.

O delegado disse ainda que em respeito ao luto das famílias das vítimas as oitivas estão suspensas. “O inquérito segue seu ritmo normal e no momento oportuno iremos ouvir os familiares, funcionários do aeroporto e demais pessoas que poderão colaborar com a apuração”, completou Toledo.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha
[email protected]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 − três =