Queda de galho de árvore atinge carro no bairro Castelinho

Galho de árvore “podre” caiu sobre carro nesta semana. (Divulgação)

Parte de uma árvore na rua Caramuru, no bairro Castelinho, caiu na segunda-feira (13) e atingiu um carro. Pessoas que trabalham na região e moradores relataram que a árvore estava oca e com cupins.

A população teme uma nova queda e, consequentemente, prejuízos maiores, por isso, pedem uma atitude da prefeitura. “A árvore está em situação precária, oca e cheia de cupim, já caiu em um carro essa semana”, conta Daiane Defavari, assistente administrativa de uma transportadora próxima ao local. O carro foi atingido por alguns galhos “porém o dono falou que não tinha sido feito nada”.

Nossa preocupação é da árvore cair em cima de algum caminhão, de algum carro ou do próprio muro do escritório, que vai ter uma perda financeira bem alta”, completa Daiane.

De acordo com Daiane, reclamação foi registrada no SIP (Serviço de Informação à População) 156 no dia do ocorrido e a árvore removida no dia seguinte.

Segundo informou a assessoria de imprensa da Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente), o órgão acredita que a retirada dos galhos tenha sido feita pelo Corpo de Bombeiros. “A necessidade do corte ainda não foi avaliada”, informa. “Este pedido ainda não foi registrado pelo setor de arborização. Mesmo assim, através do pedido do Jornal, o setor vai encaminhar um técnico para vistoria e providências”, completou.

CORTE

O corte de árvores no município só é permitido desde que apresente problemas sanitários ou de segurança, conforme Lei complementar 251/2010.

Diferente do pedido de poda de árvore – que pode ser feito pelo SIP 156 –, para a solicitação da vistoria de corte, o cidadão precisa protocolar os documentos abaixo no térreo do Centro Cívico.

Os documentos são: requerimento fornecido pela Prefeitura; prova dominial atualizada (matrícula do imóvel); cópia da contracapa do carnê de IPTU; cópias simples do RG e CPF e, se for pessoa jurídica, cópia do cartão CNPJ ou contrato social; autorização do proprietário e planta ou croqui de localização da árvore.

Se o pedido for aceito, será enviado para execução pela equipe de manutenção de arborização urbana do município. “A Sedema lembra que os critérios adotados pelos técnicos estão embasados na legislação vigente”, reforçou a pasta.

Andressa Mota

[email protected]