Rádios do CE retiram DJ Ivis da programação; Deezer e Sony Music estudam punições

Foto: Divulgação

Após a divulgação dos vídeos de uma câmera de segurança em que aparece agredindo a mulher, Pamella Holanda, no apartamento onde moravam, em Eusébio, na região metropolitana de Fortaleza, Ceará, o DJ Ivis passou a ser alvo de protestos nas redes sociais. Além de revolta de cantores da região como Xand Avião – que o desligou da empresa Vybbe – Sol Almeida e Ivete Sangalo, as rádios do Ceará retiram as músicas do artista da programação. Já a sua gravadora Sony Music Brasil e a plataforma Deezer estudam possíveis punições.

Integrante do Sistema Verdes Mares de Comunicação, a FM93 informou em nota que não compactua com o conteúdo dos vídeos e, por isso, não tocará mais os sucessos do artista. “A FM93 é contra todo tipo de violência contra a mulher seja física, verbal ou psicológica e não compactua com esse tipo de comportamento. Esperamos que justiça seja feita por esta mulher, a filha dela e por todas as que sofrem violência doméstica.”, escreveu.

Tom semelhante foi dada pelo Grupo Cidade de Comunicação, composto pela TV Cidade Fortaleza – afiliada da Record TV – e as rádios Atlântico Sul FM 105.7, Cidade 99.1, Jovem Pan Fortaleza 94,7, Jovem Pan News 92,9, Jovem Pan Jericoacoara 91,7, 89,9 FM e Cidade AM 860. “Informamos que, devido aos atos de violência cometidos pelo cantor e compositor DJ Ivis contra a ex-companheira Pamella Holanda, nós, do Grupo Cidade de Comunicação, retiramos os hits do artista da programação musical de nossas rádios. Somos contra qualquer tipo de violência e a favor da punição em respeito à integridade de todas as mulheres que sofrem agressão física ou psicológica no ambiente doméstico”, disse em texto divulgado nas redes sociais.

A Jangadeiro FM escreveu que “Não tem disfarce, não tem desculpa Nenhuma violência contra mulher tem justificativa. Quando você denuncia, a violência contra mulher é combatida sem maquiagem”. Por fim, o Sistema Sinal de Comunicação, que atua em Aracati, a 150 km de Fortaleza, reforçou não haver justificativa para a violência. “A Sinal, em hipótese alguma, compactuará com esse tipo de atitude[…] Estamos atentos a expressões e atitudes desta natureza e não toleraremos tais práticas”, declarou.

Empresas estudam punições ao DJ Ivis

Responsável por sua representação e distribuição pelo Brasil, a gravadora Sony Music emitiu um comunicado nesta terça-feira, 13, após pressão das pessoas na internet. Em breve texto, a empresa disse que está reavaliando a parceria com o DJ Ivis. “A Sony Music Brasil leva as acusações contra o DJ Ivis muito a sério e não tolera esse tipo de comportamento. Acreditamos na criação de um ambiente seguro e inclusivo para todos. No momento, estamos revisando nossa relação com o artista”.

A franquia nacional da plataforma de streaming Deezer reforçou que não compactua com as atitudes do músico. “Meu papo é reto: não há justificativa quando o assunto é violência contra a mulher. Não compactuo com essa conduta inadmissível. Sei que as devidas medidas estão sendo tomadas, e logo eu volto aqui para reforçar o meu posicionamento”, diz em relato nas redes sociais

Ao Estadão, a equipe do artista informou que ele só irá falar por meio da assessoria jurídica. “Iverson de Souza Araujo afirma que vai se manifestar somente nos autos dos processos através de seus advogados, respeitando o segredo de Justiça, e reforça que está totalmente à disposição da Justiça para esclarecimentos. Além de cumprir com rigor a medida protetiva já estabelecida, também garante que não deixará que nada falte para sua filha”.

As imagens, que mostram socos, tapas e puxões de cabelo, foram divulgadas por Pamella Holanda nas redes sociais neste domingo, 11. Apesar dos registros de agressões e comoção na internet, o DJ Ivis ganhou pelo menos 220 mil seguidores no Instagram desde o sábado, 10. Em dois dias, ele saltou de 724 mil fãs para 983 mil.

Na tarde desta terça-feira, 13, o número caiu para 941 mil contas seguindo o usuário. Já a Pamella vem em uma crescente após a rede de apoio que foi formada, com nomes como Juliette Freire, Preta Gil e Duda Beat. A arquiteta saltou de menos de 200 mil para 3,1 milhões de seguidores no Instagram.

Agência Estado

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × quatro =