Recife: o melhor do carnaval

Recife, a famosa Veneza Brasileira (Foto: Lela Pires)

Animada durantes os 12 meses do ano, a “arretada” Recife, também conhecida como “Veneza Brasileira”, em razão de sua beleza e importância histórica, é um dos destinos mais atraentes de Pernambuco e do Nordeste. Recentemente o número de turistas caiu em razão do ataque de tubarões, porém o turismo vem em uma crescente, principalmente entre os meses de fevereiro e março, devido ao seu tradicional Carnaval, um dos mais famosos do Brasil.

Mesmo ficando atrás de carnavais mais famosos como Salvador e Rio de Janeiro, Recife é reconhecido mundialmente nesta época do ano em razão de possuir o maior bloco carnavalesco do mundo: o Galo da Madrugada. Os ritmos originalmente pernambucanos como o frevo, maracatu, caboclinho, ciranda, coco, samba e manguebeat. Os batuques ecoam em mais de 3 mil apresentações, puxadas por cerca de 500 agremiações. A festa começa em Boa Viagem, uma semana antes do feriado e o ponto central é na manhã de sábado, quando a área central recebe quase dois milhões de foliões.

O Carnaval recifense conta com o maior bloco carnavalesco do mundo (Foto: Rafaella Ribeiro)

Um dos bairros mais importantes da capital pernambucana é o Recife Antigo, também conhecido como Bairro do Recife. A data de sua origem remete ao século 16. Localizado no centro histórico da cidade, o local abriga diversas atrações históricas, como o Museu Cais do Sertão, onde conta a cultura dos povos sertanejos, além de um espaço interativo em que o visitante tem a oportunidade de conhecer mais sobre os ritmos tradicionais do Nordeste. O Paço do Frevo é outro edifício no bairro histórico. Ritmo considerado patrimônio imaterial da humanidade, possui um museu colorido e bastante chamativo, sendo que o visitante tem a oportunidade de interagir com artistas que eternizaram o gênero.

A Praça do Rio Branco, mais conhecida como Marco Zero, possui um edifício para marcar o marco zero da cidade, local em que é possível ter uma vista incrível do oceano Atlântico, dos arrecifes que cercam a região e também de esculturas criadas por Francisco Brennand.

A religião também está presente nas atrações turísticas, com destaque para a Concatedral de São Pedro dos Clérigos; a Igreja Madre de Deus, um dos mais importantes templos católicos da região, que foi concluída em 1720; a Capela Dourada, inaugurada em 1967 com um estilo barroco rococó; e a Sinagoga Kahal Zur Israel, a primeira sinagoga do continente americano, erguido durante a dominação holandesa e que hoje abriga o Centro Judaico Pernambuco.

Outras atrações de destaque são a Casa de Cultura, que abriga dezenas pequenas lojas de artesanato; o Mercado São José, o mercado público mais antigo do Brasil, com 545 boxes e uma diversificada variedade de produtos recifenses, pernambucanos e nordestinos; e a Oficina de Cerâmica Francisco Brennand, que, além das esculturas em cerâmica, contém um belíssimo jardim projetado por Burle Marx.

Mauro Adamoli