Apenas 2% das ocorrências de desobstrução da rede coletora de esgoto se dão por quebra ou tempo de uso das instalações. Segundo a concessionária Mirante, 98% delas podem ser evitadas com ações mais conscientes da população na hora de ‘deixar ir embora’ materiais indevidos na descarga, ralos, entre outros, pois ocorrem em função de descarte irregular de gordura e lixo – desde fraldas, absorventes e preservativos a toalha de banho e até mesmo cama e pedaços de moto.

A reportagem do Jornal de Piracicaba acompanhou na manhã da última sexta-feira (25) duas execuções de ordens de serviços para desobstrução da rede de esgoto. Na ocasião, lançamento indevido de gordura foi o que predominou, além de estopa, cabelo e pano. Segundo Laís Fonseca Gomes Pedra, coordenadora da concessionária, são executadas por mês, em média, entre 900 e 1200 desobstruções e 36% são por acúmulo de gordura, que chega a endurecer e parecer um bloco de argila.

O motorista do caminhão hidrojato, Jean Ribeiro Paz, conta que em todas as atividades de um dia de trabalho encontra lixo nas redes coletoras. “A gente tem que chegar primeiro e fazer toda essa limpeza para depois fazer a desobstrução, porque, se não, esse lixo acaba indo para a estação de tratamento. A gente encontra esses lixos em todos os lugares, acha de tudo, desde meia e já achamos blusa, camiseta”, lembra.

Além do investimento de tempo e mão de obra nas desobstruções (quando mais ações preventivas e novas instalações poderiam ser feitas), o problema das obstruções na rede coletora pode resultar em vazamento de esgoto na casa do usuário e se prolonga até as estações de tratamento, que são biológicas. Sendo assim, as bactérias se alimentam dos resíduos do esgoto e, com aumento de água ou com lixo, podem morrer, causando prejuízos.

“Quando chove, esse número pode quase dobrar, indicando que é um problema cultural mesmo de excesso de lixo. E essa relação de chuva com aumento de serviço não deveria existir, visto que o esgoto é projetado para receber esgoto”, comenta Laís.

Além do acúmulo de materiais indevidos nas redes, segundo a coordenadora da Mirante, outra dificuldade enfrentada pelas equipes é a não abertura de Ordem de Serviço pela população por meio do Semae (Serviço Municipal de Água é Esgoto) 0800 772 9611 ou 115. “O registro das obstruções é de extrema importância para análise de melhorias na região e para o pronto atendimento da demanda. Além disso, é de extrema importância ter a situação do imóvel regular, possuindo caixa de inspeção na calçada sem lacrar, além de separar as tubulações de água pluvial da tubulação de esgoto”.

COLETA DE ÓLEO
O óleo de cozinha deve ser separado e pode se transformar em sabão caseiro ou até em uma rende extra. De acordo com o proprietário da “Disk Óleo”, Igor Arantes, a empresa oferece o serviço de coleta há 14 anos “para dar um destino ecologicamente correto”. Residências, restaurantes e condomínios podem solicitar o serviço por meio do whatsapp (19) 99755-7932 ou no Facebook do proprietário.

“Hoje compramos esse óleo em pequenas e grandes quantidades com pagamento em espécie ou trocamos por produtos”, explica Arante. Entre esses produtos estão detergente, água sanitária, multiuso, sabão, alvejante e limpa alumínio. O óleo coletado é encaminhado para empresas de biocombustíveis.

Andressa Mota

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezenove − 5 =