Rede Municipal de Piracicaba retoma aulas presenciais em 8 de fevereiro

A SME (Secretaria Municipal de Educação) divulgou nesta terça-feira (19) que as aulas presenciais na rede municipal serão retomadas em 8 de fevereiro para a educação infantil e ensino fundamental. Entre as medidas do protocolo apresentado pela prefeitura estão testagem dos servidores da Educação, capacidade reduzida de alunos conforme a fase do Plano São Paulo, ensino híbrido, aferição de temperatura, uso de máscara, além de ações de higiene e limpeza.

Anúncio foi feito em coletiva nesta terça-feira (19) | Foto: Claudinho Coradini/JP


O início do ano letivo será em 1º de fevereiro de forma remota. Para o ensino híbrido, os alunos terão acesso, segundo a Educação, ao Centro de Mídias do Estado de São Paulo, além de materiais didáticos impressos. A pasta afirma que estuda ainda transmitir as aulas em TV aberta, no canal da TV Câmara de Piracicaba. Para as creches, o retorno presencial na rede municipal será em 8 de março, devido ao maior contato entre educadores e alunos nessa fase, conforme explicou o prefeito Luciano Almeida (DEM), que também informou que o cronograma será reavaliado caso seja necessário de acordo com o avanço da covid-19 na cidade e orientações do Estado.


Na fase laranja, em que a região se encontra, 35% dos alunos devem comparecer à escola por dia de segunda a quarta-feira. Nas quintas e sextas, seguindo esse limite de capacidade, apenas os alunos que precisem de reforço escolar. De acordo com o secretário de educação João Marcos Thomaziello, o retorno será obrigatório. As crianças devem ir de uma a duas vezes por semana à escola. A pasta informou que haverá merenda e os mesmos protocolos de distanciamento e higiene devem ser seguidos no transporte escolar por ônibus e vans.

LEIA MAIS:


“Há uma obrigatoriedade de retorno, porque nós estamos seguindo o Plano São Paulo. […] As crianças precisam retornar, porque elas estão no desenvolvimento infantil notadamente de crianças de 0 a 5 anos. É uma idade em que ela está em crescimento intelectual. Além disso, o uso excessivo de telas e computadores podem desencadear transtornos psicológicos e psiquiátricos. Elas ficam nervosas, precisam de socialização. E esse tempo em que elas estão em suas casas será muito difícil de recuperar”, afirma o secretário.


Segundo o prefeito, a retomada é necessária e deve recuperar o ano letivo de 2020. “Nós estamos muito felizes de assumir essa responsabilidade, já que nossas crianças perderam o ano inteiro passado. As aulas à distância não foram exatamente aquilo que a gente esperava, então nós queremos recuperar esse ano perdido com a retomada das aulas presenciais. Porém, nós temos ainda uma segunda onda de covid e, para isso, nós estamos tomando todos os cuidados necessários para que essa volta seja segura, tanto para professores e funcionários quanto para as crianças das nossas escolas”, comenta.


Na fase amarela, segundo o protocolo apresentado pela prefeitura, a capacidade diária das salas de aula sobe para 70% e, na verde, até 100%. O secretário informou ainda que voltam às atividades presenciais professores e funcionários que não tenham comorbidades e não façam parte do grupo de risco para a covid-19.


“Já preparamos e enviamos para as escolas máscaras, face shield (protetor facial) e aferição de temperatura. A criança vai chegar na escola, vai ser aferida a temperatura dela. Não há uma obrigatoriedade do uso de máscara em crianças de 0 a 8 anos. Para os demais alunos, todos receberão. Serão fornecidos álcool gel, luvas, tapetes sanitizantes, máscaras, face shield e termômetro”, informou Thomaziello.

SIMED
De acordo com Thomaziello, semanalmente as escolas vão preencher o SIMED (Sintema de Informação e Monitoramento da Educação para Covid-19), ligado à pasta estadual, caso ocorram casos positivos de covid-19.

TESTAGEM
As pastas da saúde e educação vão testar nos dias 23 e 24 e 30 e 31 de janeiro cerca de 4 mil servidores da educação para a retomada presencial das aulas. Segundo o secretário da saúde, Filemon Silvano, serão disponibilizados testes rápidos “com uma sensibilidade acima de 95 e uma especificidade acima de 98”. “Então é um teste que a gente chama de padrão ouro que ao ser executado vai ter um diagnóstico efetivo”, afirma o secretário. A retestagem será feita conforme a necessidade, segundo ele.

Andressa Mota

3 COMENTÁRIOS

  1. Mtooo bem Secretário, essa iniciativa é também necessária, para continuar motivando as crianças a prosseguirem nos estudos e terem perspectiva de um futuro melhor.

  2. Nem pense que meu filho vai sair de casa para ir a uma escola onde nao se pode “socializar” . Se existe a possibilidade de pegar a doença. Nao deveriam nem pensar em colocar a vida de uma crianca em risco.

  3. Como pode autorizar a volta às aulas com tantos casos aumentando, sabendo que as escolas públicas não tem a qualidade da rede particular, nem de higiene e nem distanciamento. Sou totalmente contra, em muitas escolas nem papel higiênico tem, agora vai ter álcool em gel e tudo o que é obrigatório pra volta segura? Acho que não deveria pq duvido que os professores vão conseguir manter alunos afastado um dos outros. Melhor repensar.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

10 + dezesseis =