Reflexões sobre a atualidade

Se as condições pelas quais passa o planeta requerem uma crescente flexibilidade e capacidade de adaptação, também suscitam reflexões sobre o modo como temos interpretado e compreendido as situações desta época.

Os tempos atuais requerem parâmetros elevados, integradores e atualizados a fim de se conseguir solucionar os crescentes desafios que se mostram a cada momento. Tomando como referência ensinamentos e revelações espirituais compartilhadas por instrutores de evidente idoneidade e seriedade, a humanidade dispõe atualmente de vasto material não apenas para reflexão, mas sobretudo como inspiração para a tomada de decisão e para orientar atitudes e condutas práticas em cada circunstância do cotidiano.




Afirmam tais revelações – vinculadas a movimentos religiosos ou não – que nunca, como na época atual, se fez tão necessária a prática das instruções espirituais disponíveis em relação às mais diversas situações da vida, assim como a abertura à intuição e à inspiração como acessos a uma fonte de sabedoria, segurança interior e fortalecimento da fé. O preceito evangélico “orai e vigiai” nunca se fez tão necessário quanto hoje em dia. Basta que se observe a situação mental e emocional de grande parte da população para se constatar a validade e atualidade da recomendação acima.

Os indivíduos que passaram por um despertar da consciência espiritual – fruto de orações e meditações, do cultivo de valores elevados, do exercício de virtudes e da prática de serviço altruísta – e que compartilharam suas experiências e conquistas interiores, afirmaram ocorrer, como decorrência desse despertar, uma diferente relação com o mundo exterior. Se o empenho na busca espiritual promove um despertar e um contato com realidades mais profundas, das quais se obtém respostas e orientações inexistentes nos planos materiais, essa mesma abertura promove mudanças no modo de ser de quem se permite receber esse fluxo de vida superior. É o que tem ocorrido com aqueles que passaram por esse processo de transformação interior, tornando-se pessoas mais simples, puras, desapegadas, caridosas, sábias e interiormente livres. Essas mudanças, com suas consequentes expressões externas, modificam profundamente a relação que se tem com os demais seres, bem como com coisas e circunstâncias. Os indivíduos que chegaram a certo nível desse despertar interior demonstraram, pelo exemplo da própria vida, uma grande capacidade de enfrentar desafios, de resignar-se diante de circunstâncias adversas, de enxergar o aspecto benéfico e purificador de problemas e sofrimentos, de ressignificar situações aparentemente adversas, tomando-as como preciosas lições e oportunidades de crescimento e libertação, chegando ao ponto de transcender interesses pessoais para ir ao encontro do próximo, a fim de aliviar-lhe as dores. Esses fatos, por si sós, revelam a extraordinária capacidade humana de superação e transformação diante de qualquer realidade externa, desde que se esteja consciente dessa capacidade e se evoque esse potencial, presente em todos os seres, e que se desenvolva e fortaleça essa habilidade pela comunhão cada vez mais consciente com a fonte interna da vida.

Tal possibilidade aguarda de cada um de nós a decisão e o empenho por um modo de vida mais harmonioso, saudável e pacífico, com repercussões positivas nos demais seres que compartilham a morada planetária que nos acolhe.